Diário da Região

19/05/2011 - 08h58min

Zurique

Fifa vai interrogar informante de caso de corrupção

Zurique

O presidente Joseph Blatter afirmou nesta quinta-feira que a Fifa vai interrogar o informante que afirmou que o Catar pagou suborno para eleitores africanos do comitê executivo da entidade em troca de votos no processo de escolha da sede da Copa do Mundo de 2022.

O presidente da Fifa disse que o jornal britânico The Sunday Times concordou em levar sua fonte para uma reunião com altos funcionários da entidade, que deve então decidir se abre um novo inquérito sobre as denúncias no processo de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. "Estão felizes, eles concordaram em trazer esse denunciante aqui a Zurique e, em seguida, teremos uma discussão, uma investigação sobre isto", disse Blatter.

O denunciante alega que os membros do Comitê Executivo da Fifa Issa Hayatou e Jacques Anouma receberam US$ 1,5 milhão cada para votar no Catar, que foi escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2022 em dezembro de 2010. Blatter não descartou reabrir a votação do Mundial de 2022 se a corrupção for provada, mas pediu para analisar o caso "passo a passo".

O presidente da Fifa, disse que a organização está "esperando ansiosamente" mais provas antes de pedir a sua comissão de ética para examinar as denúncias feitas no Parlamento da Grã-Bretanha na semana passada. Blatter afirmou que a situação deve ser "esclarecida" até 27 de maio, cinco dias antes da disputa da eleição da eleição para a presidência da Fifa entre o suíço e o catariano Mohamed bin Hammam, que teve papel decisivo na vitória do seu país.

O dirigente explicou que o jornal e seu denunciante se reunirão com Jerome Valcke, secretário-geral da Fifa, e Marco Villiger, diretor jurídico da entidade. O comitê de ética da Fifa poderá ser convocado nos próximos dias para realizar a sua própria investigação. "O comitê de ética já está alertado e alarmado. Eles não estão deitados na praia", afirmou Blatter. "Todos os membros virão ao Congresso (em 1° de junho), por isso vai ser fácil convocar rapidamente um comitê de ética".

Blatter disse que não ordenará uma investigação que possa manchar a reputação do seu adversário eleitoral. "O que eles fazem não é uma questão para o presidente da Fifa", disse.

A Fifa também está aguardando as evidências para avaliar as novas acusações feitas no Parlamento por David Triesman, o ex-presidente da candidatura da Inglaterra para a Copa do Mundo e da Associação de Futebol da Inglaterra.

Ele disse que Jack Waner, Nicolas Leoz, Ricardo Teixeira e Worawi Makudi tiveram comportamento "impróprio e antiético" no processo de escolha da sede do Mundial de 2018, que foi vencido pela Rússia. Teixeira teria pedido propina para votar na Inglaterra. Todos os membros do Comitê Executivo da Fifa negaram as irregularidades.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso