X
X

Diário da Região

09/12/2016 - 11h23min

Genebra

Esquema de doping russo causou 'maior fraude' em Londres-2012, diz investigador

Genebra

Ao apontar nesta sexta-feira, por meio de seu relatório produzido a pedido da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), que mais de mil atletas russos foram beneficiados por manipulações no controle de doping entre 2011 e 2015, o investigador Richard McLaren afirmou que o esquema que envolveu uma "conspiração em uma escala sem precedentes" entre federações esportivas, agências antidoping e o próprio governo da Rússia provocou a "maior fraude" esportiva durante os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. "Talvez nunca conheceremos a dimensão da corrupção dos resultados em Londres. Trata-se da maior fraude nos tempos modernos em um evento", afirmou McLaren. Para ele, os resultados "impressionantes" dos russos em Londres "falam por si só". Os nomes dos envolvidos foram passados às federações de cada uma das modalidades. "Vamos tomar medidas", prometeu, por sua vez, a Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês). "Enquanto a manipulação dos testes ocorria, produtos ilegais eram fornecidos", explicou McLaren. "Em Londres, a Rússia ganhou 24 medalhas de ouro e ninguém foi pego no doping", disse. Para o investigador, havia um "sistema disciplinado estabelecido para ganhar medalhas, principalmente nos Jogos de Sochi de 2014". Um banco de amostras limpas de sangue foi transportado para a cidade e, dali, o material era fornecido para que os atletas não fossem pegos. "Os eventos foram sequestrados pelos russos. Não há como saber por quanto tempo fizeram isso", alertou o investigador, que aponta também para manipulação nos Jogos Paralímpicos de 2012. Antes dos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio, seu informe preliminar apontou como o consumo de substâncias proibidas por atletas russos era promovido por programas secretos do estado russo, contando inclusive com o apoio dos serviços de inteligência. As revelações levaram centenas de atletas e entidades a pedir a suspensão da delegação russa dos Jogos do Rio. Mas a opção do Comitê Olímpico Internacional (COI) foi a de manter Rússia no evento e suspender apenas aqueles que não conseguissem provar que estavam limpos. Na época, McLaren acusou o COI de não entender que o doping era generalizado e organizado pelo estado russo. Agora, suas conclusões revelam a dimensão do escândalo que envolveu diretamente o ex-ministro do Esporte da Rússia, Vitaly Mutko. O braço direito do presidente Vladimir Putin não foi autorizado a viajar ao Rio de Janeiro. Mas o Kremlin, ao invés de o demitir, o promoveu para o cargo de vice-primeiro-ministro.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso