X
X

Diário da Região

11/09/2016 - 00h00min

LANÇANDO PARA A GLÓRIA

Claudiney dos Santos, de Rio Preto, faz história ao conquistar a medalha de ouro

LANÇANDO PARA A GLÓRIA

Divulgação Jatobá ao lado da atriz Cléo Pires após vitória sobre a Argélia
Jatobá ao lado da atriz Cléo Pires após vitória sobre a Argélia

Com direito a novo recorde paralímpico, Rio Preto é medalha de ouro nos jogos do Rio de Janeiro. Claudiney Batista dos Santos, 37 anos, fez história na manhã deste sábado, 10, e entrou no hall das principais estrelas do paradesporto ao vencer a prova do lançamento do disco classe F56. Um caminho árduo, de 11 anos, que mostrou sua capacidade de resiliência, superando a trágica perda de um membro após um acidente de trânsito e um erro médico, para se tornar um vencedor no esporte.

A marca de 45,33 metros valeu o novo recorde paralímpico, superando em 70 centímetros o feito do cubano Leonardo Diaz, que neste sábado marcou apenas 43,58m e ficou com o bronze. A prata foi para o iraniano Alireza Ghaleh Nasseri, com 44,04m. “Estou muito contente e feliz por esse resultado. Foi minha melhor marca pessoal, perto recorde mundial (45,49m), não foi desta vez, já que optei em não fazer os dois últimos lançamentos. Vamos deixar emoção a mais para próxima”, disse o rio-pretense.

Ney, que é do Clube Amigos dos Deficientes (CAD/Vetnil/Smel), foi campeão no Mundial de Doha, no Catar, no ano passado, na mesma prova do disco. “É um momento único, de coroar o trabalho da equipe toda que me acompanhou, pessoal do CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro), família”, emendou.

 

Claudiney Batista dos Santos 02 - 11092016 Digite aqui a legenda

Volta por cima

Educador físico, Claudiney pilotava uma moto na vicinal para Engenheiro Schmitt quando sofreu um acidente e teve fratura exposta na tíbia, um corte no joelho e alguns ferimentos na coxa. A demora de quatro horas para a intervenção médica e o atendimento inadequado levaram à amputação do membro.

“A equipe médica disse que meu quadro era simples e que eu seria liberado rapidamente, então eles fizeram a sutura do ferimento e imobilizaram a perna, mas no outro dia à tarde minha perna começou a cheirar mal, então as pessoas que estavam comigo chamaram uma enfermeira, e dali a dois dias eu já estava sem a perna”, contou Santos em reportagem ao Diário.

O esporte paralímpico passou a fazer parte de sua vida e as conquistas começaram a aparecer não só no âmbito nacional, mas internacional: ouro (lançamento do dardo) e bronze (disco) no Parapan de Guadalajara, no México em 2011; prata no dardo nas Paralimpíadas de Lodres no ano seguinte, e prata (dardo) e bronze (disco) nos dois últimos Mundiais, em Lyon, na França, em 2013, e em Doha, no Catar, ano passado.

Atletas do CAD voltam à quadra

O basquete sobre rodas do Brasil retorna para a quadra neste domingo, 11, para mais uma rodada da fase de grupos do torneio Paralímpico. O time masculino, que conta com o armador Paulo César Jatobá e o pivô Erick Epaminondas, ambos do Clube Amigos dos Deficientes (CAD/Vetnil/Smel), joga às 15h15, contra o Irã. A equipe do técnico Tiago Frank jogaria na noite de ontem contra a Grã-Bretanha e, na noite de sexta, venceu a Argélia por 82 a 43, se reabilitando do revés frente aos Estados Unidos, na estreia pelo Grupo B.

 

Jatobá e Cléo Pires - 11092016 Jatobá ao lado da atriz Cléo Pires após vitória sobre a Argélia

Os cestinhas do jogo, empatados em número de pontos, foram Nabil Guedoun, do time da Argélia, e o ala brasileiro Marcos Sanchez, o Marquinhos, ambos com 24 pontos. “Mesmo diante do potencial da equipe dos Estados Unidos, sabíamos que poderíamos fazer melhor”, disse o capitão Jatobá, que após a vitória sobre a Argélia posou em foto nas redes sociais ao lado da atriz global Cléo Pires. O time feminino do Brasil, que conta com Rosália Ramos e Ana Aurélia, as duas da Associação Desportiva Riopretense (ADR/Smel), também volta à quadra neste domingo, às 21h30, para enfrentar o time da Grã-Bretanha. O Brasil é quarto do Grupo A com três pontos. Os quatro melhores de cada chave avançam às quartas de final. 

Recorde de público no Parque Olímpico

O Parque Olímpico dos Jogos Paralímpicos Rio-2016 registrou neste sábado, 10, o maior número de visitantes desde quando foi aberto ao público. Ao todo, 167 mil ingressos foram vendidos para as competições paralímpicas. O recorde é superior até mesmo quando comparado ao maior público registrado durante as Olimpíadas, no dia 7 de agosto, quando 157 mil pessoas entraram no principal espaço de competições dos Jogos.

A Paralimpíada já vendeu até agora 1,8 milhão de ingressos, de um total de 2,5 milhões de entradas. As bilheterias do Parque Olímpico permanecem lotadas a maior parte do dia. A expectativa é de que todos os ingressos sejam vendidos até o fim das competições. Algumas bilheterias chegaram a registrar filas de mais de uma hora de espera antes de abrir.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso