X
X

Diário da Região

25/01/2017 - 15h45min

São Paulo

Bruno Lins celebra medalha herdada por revezamento, mas diz: 'Um pouco atrasado'

São Paulo

Com quase nove anos de atraso, a equipe brasileira masculina de revezamento 4x100m poderá, enfim, comemorar a conquista de uma medalha olímpica nos Jogos de Pequim-2008. O quarteto - formado por Vicente Lenílson, Sandro Viana, Bruno Lins e José Carlos Moreira, o Codó - herdará o bronze depois da desclassificação da campeã Jamaica. "Um pouco atrasado, mas não importa, o importante é que a gente deixou o nosso nome na história e nós agora somos medalhistas olímpicos", festejou Bruno, que recebeu a notícia nesta quarta-feira durante o telefonema de um jornalista. O atleta contou que ficou um pouco aéreo com a novidade, está radiante e surpreso também: "A ficha ainda não caiu". A expectativa dos brasileiros havia aumentado diante dessa possibilidade quando o revezamento 4x100m brasileiro feminino viveu situação semelhante em 2016, após a Rússia ter o ouro olímpico destituído. Bruno contou que Vicente Lenílson até chegou a criar um grupo de WhatsApp com os companheiros, mas ele preferiu se desligar pouco tempo depois para tentar manter os pés no chão e se concentrar nos treinamentos do novo ciclo olímpico. "A gente falava: 'Vai ser impossível tirar a medalha do Bolt, ninguém vai tirar isso dele'. Foi um dos motivos que me fizeram desacreditar um pouco e desanimar", explicou. O quarto lugar nos Jogos de Pequim foi uma decepção para Bruno, que disputava a primeira Olimpíada de sua carreira e viu a possibilidade de ser medalhista olímpico escapar por pouco. Além disso, ele sabe que aquele bronze teria feito sua vida de atleta ser diferente e até lembrou o envolvimento em um caso de doping, situação que passou a ver como aprendizado. "Teria mudado a vida de todos, a forma de pensar, de agir, os planos, as metas, os focos, tudo ia ser diferente. Até mesmo a punição de doping que sofri em 2009, paguei os dois anos, dei a volta por cima, aquilo também me fortaleceu. Aconteceu como tinha de ser, o importante é que a medalha veio para o Brasil, ela é nossa", exaltou. O Comitê Olímpico Internacional anunciou nesta quarta-feira que o velocista Nesta Carter foi flagrado no exame antidoping pelo uso da substância Metilhexanamina em reanálise das amostras de urina dos Jogos Olímpicos de Pequim-2008. Com isso, o revezamento da Jamaica, que também era composto pelo astro Usain Bolt, Asafa Powell e Michael Frater, perderá a medalha de ouro. A equipe de Trinidad e Tobago será declarada campeã, enquanto o Japão ficará com a prata.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso