Diário da Região

01/07/2016 - 00h00min

DESAFIO

Aos 57 anos, atleta de Rio Preto encara maratona de 235 quilômetros

DESAFIO

Guilherme Baffi Nilda Oliveira durante treino na Represa Municipal de Rio Preto: ela pretende correr a distância em 48 horas. (Foto: Guilherme Baffi)
Nilda Oliveira durante treino na Represa Municipal de Rio Preto: ela pretende correr a distância em 48 horas. (Foto: Guilherme Baffi)

Extasiada por ser uma das escolhidas para conduzir a Tocha Olímpica pelo Interior de São Paulo, a ultramaratonista Nilda Claudino Oliveira, de 57 anos, encara a partir das 8 horas desta sexta-feira, dia 1º de julho, o que classifica como a maior “loucura” na sua vida como esportista. Ela fará a Ultramaratona dos Anjos Internacional, com percurso de 235 quilômetros, com largada na cidade de Passa Quatro, em Minas Gerais.

Os atletas terão o limite de 60 horas para concluir a prova, ou seja, até as 20 horas de domingo. “É o sonho da minha vida fazer essa prova, sempre quis participar e vou focada com o intuito de concluir”, afirmou Nilda.

Dona de casa e professora aposentada, Nilda é conhecida pelas fixação em corridas de longas distâncias. Começou com provas de 5 e 10 quilômetros, passou à meia-maratona, depois para a Maratona (42.195 metros) e passou a viver o mundo das ultramaratonas.

Neste ano, além de duas maratonas, ela participou de uma prova de 12 horas, em Quatro Barras, no Paraná, onde conseguiu ser a quinta melhor na classificação geral, entre homens e mulheres, totalizando 114 quilômetros. “Fiquei muito feliz e surpresa, queria fazer 100 quilômetros, não acreditava que já tinha feito e tinha mais duas horas de prova”, afirmou. “Nesta prova vou em um ritmo mais cadenciado, mas não quero parar. Quero tentar completá-la em 48 horas”, destacou a maratonista. “Isso é um desejo, mas não quero me cobrar muito, uma vez que tenho até 60 horas para terminar, independente de colocação.”

Para uns, chega a ser insano pensar em tamanho esforço - 60 horas em franca atividade. Mas Nilda é inquieta. Corre quase todos os dias, nada duas vezes por semana, faz academia de boxe e treinamento funcional para fortalecer a musculatura. “Já fiz uma prova de 48 horas em pista, com iluminação e apoio, lá é diferente”, disse a corredora sobre a prova em Passa Quatro.

Isso porque os 235 quilômetros são em trajeto único, com saída e chegada na cidade mineira, passando por oito postos de controle. Ela terá uma equipe com duas pessoas em um carro que a acompanhará para ajudar na alimentação e na hidratação. “É um caminho com descidas, subidas e pedras. Tem uma parte em mata fechada, onde um atleta terá uma escolta para não correr riscos. Será muito difícil, mas eu não consigo pensar em não completar”, emendou Nilda.

percurso01072016 Clique na imagem para ampliar

Carregará a tocha olímpica

Nilda Claudino Oliveira nasceu em Paulo de Faria, mas ainda na juventude adotou Rio Preto como terra natal. Agora, terá a honra de representá-la na condução da Tocha Olímpica dos Jogos do Rio 2016, em sua passagem pela região. A ultramaratonista teve sua história escolhida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e carregará o maior símbolo dos Jogos na cidade de Barretos, no dia 19 de julho. “Meu filho (Cristiano) fez a indicação, escrevendo minha história e foi um processo longo. Preenchi vários formulários até que recebi um pedido para fornecer o número do uniforme. Aí liguei lá para confirmar e certamente será o momento mais feliz na minha vida esportiva”, disse Nilda.

Hoje ultramaratonista, Nilda começou a correr apenas aos 48 anos de idade, quando parou de lecionar. “Certamente não vou viver para ver outra olimpíada no Brasil e fazer parte dessa história é um sonho”, emendou Nilda. “Correr é minha energia, um pedaço de mim, não sei viver sem isso.”

As instruções com detalhes sobre a condução da Tocha serão passadas apenas alguns dias antes do evento ocorrer em Barretos.

Outra pessoa de Rio Preto que conduzirá a Tocha em Barretos, no dia 19, é o coreógrafo Paulo Teixeira, de 38 anos, que mantém o Projeto Aquário, na Vila Toninho. Um dia antes, o paratleta rio-pretense Gabriel Neris, de 16 anos, do Clube Amigos dos Deficientes (CAD/Vetnil/Smel) carregará o símbolo olímpico em Ribeirão Preto. A tocha olímpica passará por 329 cidades brasileiras durante 95 dias, antes de chegar ao Maracanã, no Rio de Janeiro, no dia 5 de agosto, para a cerimônia de abertura dos Jogos. (OJ)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso