X

Diário da Região

24/07/2014 - 07h14min

Comércio Exterior

Volume de importação cresce em Rio Preto

Comércio Exterior

Edvaldo Santos Júlio César, importador de Rio Preto, comemora aumento do interesse pelo salmão no Brasil
Júlio César, importador de Rio Preto, comemora aumento do interesse pelo salmão no Brasil

O déficit na balança comercial de Rio Preto continua crescendo. A cidade fechou o primeiro semestre de 2014 com saldo negativo de US$ 74,2 milhões, valor aproximadamente três vezes maior que o registrado no mesmo período em 2013, quando o déficit foi de US$ 25,8 milhões. De janeiro a junho, Rio Preto importou US$ 84,2 milhões enquanto exportou apenas US$ 9,9 milhões.


O crescimento acima da média nas importações foi causado por duas empresas do Rio de Janeiro que se instalaram em Rio Preto no começo do ano e que importaram apenas em março um valor próximo a US$ 40 milhões em equipamentos ligados ao setor de distribuição de energia. Com isso, o resultado do semestre de 2014 já é maior que todo o déficit do ano de 2013.


Em junho, Rio Preto fechou em baixa tanto nas importações quanto nas exportações em relação ao mês anterior. A queda foi de 12,59%, para as exportações, e de 21,8%, para as importações. Ao todo, no mês passado, a cidade vendeu US$ 1,4 milhão e comprou US$ 5,4 milhões. Já em comparação com junho de 2013, tanto a exportação quando a importação tiveram resultados positivos. A primeira obteve alta de aproximadamente 1,9% e a segunda alta de 20,3%.


Entre os principais produtos importados por Rio Preto no primeiro semestre, o salmão continua se destacando. No total do período, ele aparece atrás apenas dos tiristores e transformadores comprados em março que juntos superam os US$ 40 milhões em produtos. Nos primeiros seis meses do ano, Rio Preto importou aproximadamente US$ 13,96 milhões em salmão, 156,69% a mais que o importado no mesmo período em 2013 (US$ 5,44 milhões).


Durante os seis primeiros meses do ano, Reino Unido, Chile, China, Estados Unidos e Alemanha foram os principais países com os quais Rio Preto negociou para importar produtos. Já nas exportações, mudas de outras plantas ornamentais continuam sendo o produto forte de Rio Preto. De janeiro a junho, a cidade exportou US$ 2,1 milhões, 5,25% a mais que no mesmo período de 2013. Os principais compradores de produtos produzidos por aqui são Angola, Estados Unidos, Holanda, China e Hong Kong.


Os resultados do ano são a constatação da mudança do perfil de Rio Preto, que passa a ser quase que totalmente voltada para a importação, afirma o despachante aduaneiro Paulo Narcizo, da Caribbean Express. "A tendência é Rio Preto permanecer neste caminho. Uma grande compradora e distribuidora de produtos, tanto industrializados como matéria prima.


Além disso, muitas empresas estão renovando seus equipamentos adquirindo produtos importados." O déficit da balança comercial de Rio Preto deve fechar o ano em mais de US$ 100 milhões. "Um exemplo: apenas com o valor importado de salmão, se continuar no ritmo de compras atual, Rio Preto deve chegar aos US$ 100 milhões".


Mudança


Preocupada em tentar melhorar a situação do comércio exterior em Rio Preto, a Diretoria de Comércio Exterior da Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto (Acirp) prepara novidades para este segundo semestre. "Vamos trabalhar para tentar incentivar o empresário a exportar seus produtos. Será um processo de conscientização, queremos levar aos empresários todas as informações necessárias para que invistam mais no setor", explicou o diretor de comércio exterior da Acirp, Márcio Marcassa Júnior.


Salmão para todos os cantos do País


Rio Preto não tem mar com águas profundas para a pesca de um suculento salmão, mas tem forte representatividade no mercado deste pescado no Brasil. Saem da cidade, por mês, cerca de 400 toneladas de salmão, para abastecer restaurantes e supermercados em 10 estados, do norte ao nordeste, incluindo o litoral. Há 10 anos no mercado, a Mar & Rio Pescados, de Rio Preto, testemunha a preferência cada vez maior do brasileiro pela carne de salmão, que hoje representa 55% dos pescados que comercializa.


Com uma logística milimetricamente planejada, o salmão sai de Puerto Montt, no sul do Chile, hermeticamente fechado em caixas de isopor. Enquanto a carreta está na estrada, o pescado já é comercializado, tendo destino certo ao chegar a Rio Preto - em média, sete dias depois de sair da região dos lagos chilenos. "O salmão tem 21 dias de prazo desde o momento em que é abatido.


Por isso, sua distribuição demanda uma logística bem planejada. O risco de prejuízo é grande, pois o transporte terrestre está sujeito, além de questões aduaneiras, a problemas naturais como as quedas de geleiras naquela região", comenta o empresário Júlio César Antônio, que comanda a Mar & Rio. Somente de janeiro a junho deste ano, a Mar & Rio importou 2 mil toneladas de salmão, um crescimento de 170% em relação ao ano passado e volume de US$ 14 milhões em negócios.


"Em Rio Preto, por exemplo, havia pouco menos de 10 restaurantes orientais há oito anos. Hoje, são quase 35 estabelecimentos do gênero. Sem contar que toda churrascaria mantém uma seção de comida oriental e todo supermercado vende carne de salmão", diz Antônio, que agregou produtos da culinária oriental ao seu mix, oferecendo desde frutos do mar a acompanhamentos - saquê, arroz e até o rachi (palitos usados para comer as iguarias japonesas).


Salmão com o peso entre 2 e 3 quilos tem como destino os supermercados. Já os maiores, de 5 quilos, são usados pelos restaurantes para fazer o sachimi, tradicional prato japonês. Para o empresário rio-pretense, a cidade tem uma localização estratégica para atender as diferentes regiões do País. "O transporte tanto para o norte como para o sul demanda praticamente o mesmo tempo. Além de Rio Preto, também temos outra unidade de congelados em Santos", afirma Júlio César Antonio, que começou no ramo vendendo carne de tilápia e se reafirma no mercado com o salmão.


Assista videorreportagem com Júlio César Antônio, que importa salmão de Puerto Montt, no Chile




>> Leia aqui o Diário da Região Digital

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso