X
X

Diário da Região

14/01/2016 - 16h59min

São Paulo

Taxas de juros se descolam do câmbio e fecham em alta

São Paulo

O mercado futuro de juros se descolou do câmbio nesta quinta-feira, 14, e as taxas fecharam com viés de alta, num ambiente de negócios reduzidos. As dúvidas quanto aos próximos passos da política monetária do Banco Central continuaram a interferir na curva de juros. Um leilão de títulos do Tesouro, pela manhã, também exerceu influência, contribuindo para a abertura das taxas nos contratos mais longos. As taxas já iniciaram o dia em alta, alinhada à valorização do dólar que predominou pela manhã. A virada das cotações da moeda americana para o terreno negativo, no entanto, não foi acompanhada pelas taxas futuras, que continuaram a apontar para cima. A menos de uma semana da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), profissionais do mercado afirmam que há incômodo com algumas movimentações do novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa. O substituto de Joaquim Levy, que recentemente vem defendendo a ampliação do crédito via bancos públicos, tem marcado para as 17 horas desta quinta um encontro com o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho. A análise da curva de juros mostrou que 80% das apostas do mercado futuro estavam direcionadas para uma alta de 0,50 ponto porcentual na taxa Selic, contra 20% de apostas num ajuste de 0,25 ponto na taxa, hoje de 14,25% ao ano. Nos negócios na BM&FBovespa, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em abril de 2016 fechou o horário regular com taxa de 14,695%, ante 14,676% do ajuste anterior. O vencimento de janeiro de 2017 ficou em 15,480%, ante 15,465% do ajuste da quinta. O vencimento de janeiro de 2021 projetou taxa de 16,44%, de 16,29%. Outro fator que teria pressionado as taxas para cima, segundo operadores, foi o leilão de Notas do Tesouro Nacional da série F (NTN-F). Foram vendidos 3 milhões de títulos com vencimento em 1/1/2027, título ofertado pela primeira vez pelo Tesouro, e 500 mil para 1/1/2023, papel ofertado pela primeira vez neste ano. A grande quantidade de títulos, principalmente para 2027, teria influenciado a curva longa devido às operações de "hedge" feitas no mercado futuro.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso