X
X

Diário da Região

23/01/2016 - 08h24min

Rio e São Paulo

Sem embarque em Tubarão Vale perde R$ 35 mi por dia

Rio e São Paulo

A Vale calcula um prejuízo de mais de R$ 100 milhões em apenas três dias com a suspensão temporária das atividades em dois píeres do complexo portuário de Tubarão, afetando operações da mineradora e da ArcelorMittal Brasil. Ontem a empresa entrou com mandado de segurança contra a decisão da Justiça Federal do Espírito Santo, pedindo que a liminar seja cassada e as atividades no local retomadas de imediato. O impacto econômico total da medida dependerá do tempo da paralisação. No recurso, a Vale fala em prejuízo diário de R$ 35 milhões para o porto. O Porto de Tubarão foi responsável pelo embarque de 82,5 milhões de toneladas de minério de ferro da Vale de janeiro a setembro de 2015, cerca de 33% da produção da companhia no período. A empresa estima que a com a interdição do Píer II de Tubarão deixará de embarcar 200 mil toneladas diárias de minério. Além disso, o Terminal de Praia Mole (TPM) deixará de receber cerca de 44 mil toneladas de carvão, destinado a alimentar as operações da Vale e de muitas siderúrgicas. O Bradesco BBI calcula que a Vale pode perder potencialmente US$ 175 milhões de sua geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) por trimestre, com o preço do minério de ferro em US$ 41 a tonelada. Para fazer esse cálculo, o banco levou em conta a capacidade de produção do sistema sudeste da Vale, de 115 milhões de toneladas, e o custo caixa de produção nesse sistema de US$ 35 a tonelada. No recurso, os advogados da Vale falam em uma reação em cadeia: "O resultado da insólita determinação (judicial) inviabilizará as operações da Vale, não só no Porto de Tubarão, como em toda a sua cadeia produtiva, e gerará, em apenas três dias, prejuízos superiores a R$ 100 milhões". Segundo a defesa, a decisão coloca em risco a economia do Espírito Santo e, caso a decisão não seja suspensa, a de Minas, já que a Vale não terá como escoar sua produção local. "Essa decisão cria uma catástrofe econômica", afirma o advogado Sergio Bermudes, que defende a mineradora no caso. Analistas acreditam que, dependendo do tempo da paralisação, ela pode ajudar a sustentar os preços do minério de ferro no curto prazo. A cotação vem caindo e renovando suas mínimas desde o ano passado. A Vale embarca cerca de 105 milhões de toneladas de minério ao ano por Tubarão, principal porto exportador do produto no País. Além dos impactos na economia nacional, a Vale destaca que com a interdição dos terminais portuários, cerca de 2,1 mil empregados que atuam diretamente na operação do Píer II e do TPM estão impossibilitados de exercer as suas atividades. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso