X
X

Diário da Região

05/05/2017 - 18h11min

São Paulo

Recuperação de commodities e noticiário interno fraco favorecem queda do dólar

São Paulo

A recuperação de commodities como o petróleo e o cobre aliviou os temores que dominaram os mercados internacionais ontem e favoreceu um avanço das moedas emergentes sobre o dólar, incluindo o real. Com o noticiário doméstico sem grandes novidades nesta sexta-feira, 5, o dólar terminou em leve queda e encerrou a semana com variação próxima de zero. O dólar à vista no balcão terminou o pregão em baixa de 0,25%, a R$ 3,1750, concluindo a semana com retração de 0,12%. O giro registrado na clearing de câmbio da B3 foi de US$ 626,278 milhões. No mercado futuro, o dólar para junho perdia 0,45% por volta das 17h15, a R$ 3,1965. O volume de negócios somava US$ 15,049 bilhões. No exterior, o dólar caía ante a maioria das moedas emergentes e de países exportadores de commodities, como o rand sul-africano (-1,60%), o dólar canadense (-0,68%) e o rublo russo (-0,72%). O relatório sobre o mercado de trabalho (payroll) dos EUA mostrou criação de 211 mil empregos em abril, acima da previsão, de 188 mil, enquanto a taxa de desemprego caiu para 4,4%, o menor nível desde maio de 2007 e contrariando a previsão de alta para 4,6%. Entretanto, os números de geração de vagas dos dois meses anteriores sofreram revisões, gerando uma perda líquida de 6 mil empregos no período. Além disso, o salário médio por hora dos trabalhadores do setor privado ficou em US$ 26,19 em abril, alta de US$ 0,07 (ou 0,27%) ante o mês anterior. A projeção do mercado era de ganho ligeiramente maior, de 0,30%. Um dos motivos para a tranquilidade nos mercados externos foi a recuperação do petróleo, com o barril do WTI subindo 1,54%, e do cobre, que avançou 0,67% na Comex. O minério de ferro negociada na China, por sua vez, teve novo dia de forte queda, com baixa de 5,3%, mas isso não impediu uma melhora das mineradoras globais. Em relação ao segundo turno da eleição presidencial na França, a vantagem do centrista Emmanuel Macron sobre a euro-cética Marine Le Pen é tão grande que os investidores deixaram a cautela de lado e já dão sua vitória como certa. Pesquisa divulgada nesta sexta-feira pelo Ifop-Fiducial para a Paris Match mostra que as intenções de voto em Macron subiram para 63%, enquanto Le Pen ficou com 37%.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso