X
X

Diário da Região

27/11/2015 - 09h51min

São Paulo

Receios domésticos e sinal de alta no exterior impulsionam o dólar

São Paulo

O dólar iniciou a sessão em alta nesta sexta-feira, 27, em meio aos receios domésticos, ainda em função dos desdobramentos da prisão do líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), e do banqueiro André Esteves, do BTG Pactual. A divisa norte-americana também sobe no exterior, com a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) possa anunciar novos estímulos na próxima semana e em função do nervosismo nos mercados chineses. Às 9h30, o dólar à vista no balcão subia 0,39%, a R$ 3,7581. O dólar para dezembro avançava 0,32%, a R$ 3,7605. Os volumes de negócios, em geral, continuam baixos, em função do feriado de Ação de Graças nos EUA, que fechou os mercados por lá ontem e os mantém em funcionalmente parcial hoje. Após a prisão de Delcídio, o governo ainda trabalha para escolher um novo líder e tentar aprovar até o fim do ano o Orçamento de 2016, como tanto tem insistido o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Ontem, em entrevista exclusiva ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, Levy disse que a partir de segunda-feira o governo poderá fazer um corte de todos os recursos disponíveis para gastos até o fim do ano, para não incorrer em infração junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) no fechamento das contas de 2015. Segundo antecipou o ministro, a estratégia estudada pelo governo é de um contingenciamento temporário, pronto para ser levantado assim que o Congresso aprovar a redução da meta fiscal deste ano. A sessão, que deveria ter ocorrido ontem, foi adiada para a próxima quinta-feira, três dias após expirar o prazo regimental para a prestação de contas. A amplitude do corte recomendado pelo TCU deixaria o governo totalmente sem recursos e dependente do resultado da votação de deputados e senadores. No cenário externo, além da expectativa com o BCE na próxima semana, o nervosismo com a China azeda o humor em relação a outras moedas emergentes e de países exportadores de commodities. O principal índice da Bolsa de Xangai caiu 5,5% hoje, após a autoridade reguladora do mercado informar que proibiu as corretoras de usar derivativos para financiar a compra de ações. Além disso, a Citic Securities, a maior corretora de ações do país, e a Guosen Securities, a terceira maior em ativos, informaram que são investigadas por supostas violações a regras de mercado.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso