X
X

Diário da Região

27/02/2015 - 17h17min

Brasília

Reação do Congresso tem sido 'bastante positiva', diz Levy

Brasília


O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse nesta sexta-feira, 27, que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deu apoio público às medidas fiscais propostas pela equipe econômica do governo. "Como foi reproduzido na imprensa, o presidente da Câmara foi muito enfático em dizer que não se apoiar um ajuste fiscal seria um desastre", afirmou, após ser questionado sobre a reação do Congresso às propostas.

Segundo ele, a resposta tem sido "bastante positiva". "Nós vamos fazer o ajuste necessário com o mínimo desgaste possível, inclusive distribuindo as medidas por diversos setores. Ainda há apoio ao PSI, mas aqueles subsídios bilionários foram reduzidos. Teve até o pequeno aumento da TJLP", disse o ministro para demonstrar que o Congresso ainda não se opôs mais fortemente às medidas tomadas. "O governo está cortando em si, estamos apostando na disciplina. Vamos gastar bem menos que em 2014", afirmou.

Levy lembrou que o governo fez alguns aumentos de tributos e que corrigiu algumas distorções, além de disciplinar os benefícios sociais. "Estamos fazendo ajustes e diminuindo medidas anticíclicas. Tenho certeza que o setor empresarial vai descobrir novos caminhos, maneiras de continuar crescendo com menos transferências e menos renúncias", disse.

Grandes fortunas

O ministro avalia ainda que a taxação sobre grandes fortunas - uma proposta colocada por alas do PT como exigência para aprovar no Congresso Nacional o pacote de ajuste fiscal - não é eficiente do ponto de vista tributário para melhorar a arrecadação do governo. "A tributação estática que alguns países têm, o que se tem verificado, é que não é muito produtiva", disse. "Não arrecada muito e não tem muitas vantagens."

Levy observou que existem legislações estaduais com taxas "bastante reduzidas" sobre a transferências e doações de bens, mas que nesses casos não há impacto na arrecadação do Imposto de Renda. "Este é o caso de uma quase renda que não está sujeita ao Imposto de Renda", disse. "O principal instrumento é o de tributação da renda."

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso