X
X

Diário da Região

03/04/2015 - 20h42min

Cultura exportada

Projeto Extensão Industrial Exportadora chega a Rio Preto

Cultura exportada

Guilherme Baffi/Arquivo Rio Preto vem sofrendo com o declínio das exportações há pelo menos cinco anos; nesse período, as importações aumentaram e o déficit da balança cresceu
Rio Preto vem sofrendo com o declínio das exportações há pelo menos cinco anos; nesse período, as importações aumentaram e o déficit da balança cresceu

Com as exportações em declínio e o saldo da balança comercial no negativo há pelo menos cinco anos, Rio Preto tenta se reerguer quando o assunto é comércio internacional. Uma nova iniciativa, que se soma a ações já desenvolvidas na cidade, tem como objetivo promover a cultura exportadora nas empresas e incrementar sua competitividade. 

Trata-se da implantação de um núcleo do Projeto Extensão Industrial Exportadora (Peiex) em Rio Preto, que será feita no próximo dia 15 pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), em parceria com a Fundação Vanzolini, vinculada à USP. A meta do projeto, que está com inscrições aberta, é atender cem empresas da região. O lançamento será às 8h30, no Hotel Nacional Plaza Inn.

O Peiex existe desde 2009 e já atendeu a 13,5 mil empresas no Brasil. O programa oferece aos participantes, de forma gratuita, consultoria de técnicos que fazem um diagnóstico da capacidade de exportação de cada companhia e apontam soluções para problemas técnico-gerenciais. O benefício para as empresas é o aumento da competitividade e geração de negócios. 

A competitividade das empresas aumenta pela melhoria em áreas como a estratégia organizacional, vendas e marketing, capital humano, finanças e custos, comércio exterior e produto e manufatura. "O objetivo é qualificar as empresas para um melhor desempenho perante os compradores internacionais", afirma Tiago Terra, gestor do programa.

O programa pode ser implantado tanto em empresas que ainda não atuam com exportações como naquelas que já estão inseridas nesse mercado, mas precisam melhorar sua gestão e atender às exigências do mercado externo. Entre os exemplos podemos citar uma programação que faça a entrega do produto na data acertada, a adequação do material publicitário para aquele mercado, a qualidade do produto de acordo com normas. 

"O Peiex busca qualificar e ampliar os mercados para as indústrias iniciantes em comércio exterior". Segundo Terra, o processo de capacitação empresarial é fundamental para ingresso no mercado externo e depois dessa capacitação as empresas ficam aptas a integrar outros programas de apoio à exportação da Apex-Brasil, como rodadas de negócios, feiras e missões internacionais. "As empresas que exportam tendem a inovar mais porque estão expostas à competição internacional e trazem esse conhecimento para o mercado interno", afirma.

 

Tiago Terra Segundo Tiago Terra, o objetivo é qualificar as empresas para um melhor desempenho perante compradores internacionais

Diagnóstico

A elaboração de cada diagnóstico leva de dois a três meses, por setor, e as empresas continuam tendo acompanhamento durante a implantação das mudanças, que podem variar desde soluções gerenciais internas a ações externas relativas ao acesso a novos mercados e adequação de produto. Este é um dos 38 núcleos operacionais do Peiex, que está presente em 14 estados brasileiros. Outra unidade será inaugurada em São José dos Campos até maio. Em 2014, 3,4 mil empresas foram atendidas pelo programa.

Núcleo da Acirp prepara novas ações

A Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto (Acirp) também tem ações nesse sentido, por meio do departamento e Núcleo de Comércio Exterior. De acordo com Márcio Marcassa Júnior, diretor do departamento, a iniciativa da Peiex é muito importante, já que vai capacitar empresas e dar chances de entrar no mercado exterior. 

Além disso, se soma às ações da Acirp. Ele adianta que haverá novidades em cursos e workshops e a ingressão no Projeto Empreender. "O projeto poderá andar lado a lado com o Peiex visando uma maior inserção destas indústrias e empresas na área de exportação", disse. Segundo Marcassa Júnior, o empresário precisa investir mesmo que a moeda esteja favorável. Os últimos dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior revelam que o fraco desempenho da balança comercial de Rio Preto neste ano. 

No primeiro bimestre, as exportações ficaram 43,49% abaixo do total do ano passado, com US$ 1,803 milhão exportado contra US$ 3,191 milhões em 2014. Na importação, o primeiro bimestre de 2015 ficou 11,75% abaixo do mesmo período em 2014. Os dois primeiros meses do ano somados resultaram em US$ 13,026 milhões importados, contra US$ 14,761 milhões do ano passado. No saldo final, a balança comercial de Rio Preto em 2015 está com déficit de US$ 11,223 milhões. 

 

 


 

>> Leia aqui o Diário da Região Digital

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso