X
X

Diário da Região

05/05/2017 - 13h22min

São Paulo

OAS tinha setor de propinas, diz ex-diretor

São Paulo

O ex-diretor da OAS, Agenor Franklin Medeiros, afirmou nesta quinta-feira, 4, que, a exemplo da Odebrecht, a construtora também tinha um setor destinado a realizar os pagamentos de propina. Interrogado pelo juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, ele admitiu pagamentos irregulares em contratos da Petrobras e disse que os pagamentos eram distribuídos por uma área da OAS comandada por um outro executivo do grupo, Mateus Coutinho, condenado em primeiro grau na Lava Jato, mas absolvido pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região. "Existe uma área da empresa que trabalha na parte de vantagens indevidas. Uma área chamada 'Controladoria', onde doações a partidos até de forma oficial saíam. Nessa época, o gerente era o Mateus Coutinho. Ele se reportava ao diretor financeiro. Na época era Sérgio Pinheiro", afirmou. Em novembro de 2014, Coutinho foi preso na Operação Juízo Final, junto a outros altos executivos da OAS, inclusive o ex-presidente da empreiteira, José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro. Na ação penal da Juízo Final, Mateus Coutinho foi condenado a 11 anos de prisão por corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro. O executivo recorreu ao TRF-4 e foi absolvido. Tríplex Medeiros apontou o envolvimento de Coutinho ao depor na ação penal do caso que apura se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu um tríplex como forma de propina. Medeiros também é réu no caso. Outro ex-diretor da OAS, Roberto Moreira Ferreira, disse nesta quinta, em depoimento a Moro, que o tríplex 164-A, no Edifício Solaris, no Guarujá (SP), estava "reservado" para o ex-presidente. O petista nega. O ex-diretor afirmou ainda que o apartamento no Guarujá "nunca" foi colocado para venda pública pela empreiteira. Odebrecht O setor destinado ao pagamento de propinas da Odebrecht movimentou cerca de US$ 3,4 bilhões entre 2006 e 2014, segundo planilha entregue ao Ministério Público Federal pelo ex-executivo do grupo Hilberto Mascarenhas, responsável pelo chamado Setor de Operações Estruturada, que realizava o controle de vantagens indevidas pagas a políticos.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso