X
X

Diário da Região

06/11/2015 - 10h52min

Brasília

Ministério avalia redução extrema de água em Sobradinho

Brasília

A situação alarmante da falta de água do Rio São Francisco levou o Ministério de Minas e Energia (MME) a examinar uma condição extrema para garantir o mínimo de água para o reservatório de Sobradinho, na Bahia. O ministro Eduardo Braga pediu ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) que avalie a possibilidade de reduzir a liberação de água de Sobradinho para apenas 400 metros cúbicos por segundo. Para se ter uma ideia do que isso significa, trata-se de menos de um terço do volume mínimo que Sobradinho teria de entregar em condições normais, com 1.300 metros cúbicos por segundo. Hoje, o maior reservatório da Região Nordeste está com apenas 3% de sua capacidade plena de armazenamento, índice nunca visto desde 1979, quando foi fechado no sertão baiano. "A vazão atual está em 900 metros cúbicos, mas já decidimos reduzir para 800 e estamos em estudos para que caia para 700 metros", disse Braga. Segundo o ministro, a previsão é de que o reservatório chegue a apenas 1% de sua capacidade. "O pior cenário é zerar. Faremos o possível para evitar isso." Eletrointensivos A Hidrelétrica de Sobradinho foi escolhida pelo MME para abastecer a demanda das indústrias eletrointensivas da Região Nordeste nos próximos anos. Na Região Sudeste, os eletrointensivos serão abastecidos pela usina de Itumbiara, na divisa entre Goiás e Minas Gerais. A solução era aguardada pelas indústrias, por conta do vencimento de seus contratos com Chesf e Furnas. Com isso, o impasse de abastecimento de energia das eletrointensivas foi resolvido, sem onerar a conta de luz da população. O acordo passa pelo prolongamento dos contratos de geração das usinas e pela criação de dois fundos, que vão financiar novos projetos nas regiões, com a arrecadação de R$ 26 bilhões no Nordeste e de mais de R$ 20 bilhões no Sudeste. "Estamos garantindo energia competitiva para o eletrointensivo e equacionamos a situação. Estamos falando de mais de 1.500 megawatts para o eletrointensivo", disse Braga. Os fundos serão gerenciados por um conselho formado pelos Ministérios de Minas e Energia, Fazenda e Planejamento, além da Eletrobrás e Confederação Nacional da Indústria. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso