X
X

Diário da Região

22/07/2015 - 17h00min

São Paulo

Meta Fiscal, conta corrente e exterior fazem dólar fechar em alta

São Paulo

O dólar trabalhou o dia todo pressionado, à espera da entrevista dos ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Joaquim Barbosa, sobre uma possível mudança da meta fiscal, na tarde desta quarta-feira, 22. O resultado da entrevista, no entanto, só deve ter impacto no mercado futuro. No segmento à vista, a moeda não operou em queda um momento sequer, seguindo ainda a trajetória de valorização exibida também no exterior. O dólar comercial terminou a sessão em alta de 1,86%, a R$ 3,2270, o maior valor desde o dia 8 de julho (R$ 3,2280). Na mínima da sessão, marcou R$ 3,1850 e, na máxima, R$ 3,2320. No mês, acumula valorização de 3,80% e, no ano, de 21,54%. No mercado futuro, o dólar para agosto marcava, às 16h33 desta quarta, alta de 1,74%, a R$ 3,2405. O mercado não digeriu muito bem a notícia de que Levy e Barbosa deverão anunciar nesta tarde a redução da meta fiscal. O ministro da Fazenda sempre se posicionou contrário a essa alteração, sobretudo neste momento em que o governo ainda está gastando energia para conquistar credibilidade. E a alteração pode fazer justamente todo esse trabalho ir por água abaixo. E as notícias que circularam nesta quarta são de que, não só o governo vai reduzir a meta como vai diminuí-la drasticamente, de 1,1% para 0,15% do PIB. Além da preocupação com o cenário fiscal, e com a fraqueza do ministro Joaquim Levy se a meta realmente for mudada, também pressionaram a cotação do dólar para cima o avanço da moeda no exterior e a nota do setor externo conhecida hoje cedo. Segundo os dados divulgados pelo Banco Central, o País teve um déficit em conta corrente de US$ 2,547 bilhões em junho, ainda pior que o déficit de US$ 2 bilhões projetado pelo mercado (intervalo previsto entre -US$ 800 milhões e -US$ 4,9 bilhões). Nos EUA, o dado que reforçou as apostas de início iminente do aperto monetário no país foi o de vendas de moradias usadas, que subiram 3,2% em junho ante maio, o resultado mais alto desde fevereiro de 2007 e acima da previsão de alta de 0,9%.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso