Diário da Região

24/05/2003 - 02h48min

Acordo

Lula cobra resultados de usinas

Acordo

Arquivo Pesquisa: 76 dos 80 postos vendiam o combustível com preços semelhantes
Pesquisa: 76 dos 80 postos vendiam o combustível com preços semelhantes
O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, receberá, na segunda-feira à tarde, em Brasília, representantes do setor sucroalcooleiro para uma prestação de contas e um balanço parcial em relação à série de acordos firmados entre as duas partes desde janeiro. A informação é da União da Agroindústria Sucroalcooleira de São Paulo (Unica) que enviou a seus conselheiros uma convocação para o encontro. No início do mandato de Lula, o governo federal e os usineiros se reuniram, a pedido do setor, para que fosse reduzida de 25% para 20% a mistura do álcool anidro à gasolina, já que o País corria o risco iminente de desabastecimento do álcool. A redução do percentual ocorreu em 1º de fevereiro e, em contrapartida, os usineiros se comprometeram a manter o preço do álcool hidratado em 60% do cobrado pela gasolina. Essa redução, no entanto, só ocorreu após uma cobrança pessoal de Lula em uma reunião com toda a cadeia sucroalcooleira no dia 6 de fevereiro.

O setor se comprometeu ainda a antecipar a produção de maio para abril, a produzir 600 milhões de litros naquele mês e a ampliar a produção total de 11,1 bilhões de litros para 12,6 bilhões na safra 2003/2004. No dia 11 de março, mais uma vez o setor foi alvo de críticas do poder público. Como usinas insistiam em manter o preço do álcool acima do limite acordado, o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, afirmou, em Araçatuba que se o setor não enquadrasse os “malandros”, o governo iria enquadrá-los.

Reunião será tranqüila
Ao contrário das cobranças feitas pelo governo ao setor sucroalcooleiro nos encontros desde o início do ano, a reunião desta segunda-feira entre usineiros e Lula, no entanto, deve ser mais tranqüila. O setor informará ao presidente que os preços álcool hidratado/gasolina estão dentro do limite proposto, que a produção de abril foi de 576 milhões de litros e que o abastecimento está garantido. Além disso, os usineiros irão doar para o programa Fome Zero dois automóveis Volkswagen Gol Total Flex, veículo bicombustível movido tanto a álcool, como a gasolina, ou a partir de uma mistura dos dois combustíveis. Na reunião, já deverá estar publicada no Diário Oficial da União a resolução do Conselho Interministerial do Açúcar e do Álcool (Cima) que determina o retorno da mistura do álcool anidro à gasolina de 20% para 25% a partir de 1º de junho.

Combustível importado chega em junho
Chega ao Brasil no dia 5 de junho a primeira carga de combustíveis importada por grandes distribuidoras desde a abertura do mercado, no início de 2002. São cerca de 40 milhões de litros de óleo diesel que vão ser desembarcados no porto de Itaqui, no Maranhão, para o abastecimento de parte das regiões Norte e Nordeste. O navio foi contratado por um pool de empresas envolvendo BR Distribuidora, Ipiranga, Esso, Shell e Texaco. Não se trata, na prática, de concorrência com a Petrobras, até o momento única fornecedora do produto para as grandes distribuidoras. “Estamos substituindo a Petrobras no suprimento de diesel daquele mercado”, disse o diretor de abastecimento da Esso, Leonardo Gadotti Filho, que também ocupa uma direção no Sindicato das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom), que representa as grandes empresas deste setor.

Até hoje, apenas pequenas distribuidoras da região Nordeste haviam importado combustíveis, em movimentos pontuais. O objetivo das empresas do Sindicom, com o aval da Petrobras, é tornar as importações freqüentes. Diretores da estatal já disseram diversas vezes que pretendem reduzir sua atuação na importação de produtos, deixando esta função para empresas privadas. O Brasil importa cerca de 30% do diesel que consome e as distribuidoras podem se tornar responsável pelo suprimento de parte deste volume. Os 40 milhões de litros importados pelas grandes empresas representam pouco mais de 1% do consumo mensal do combustível no País.

Petróleo sobe mais de 1%
Os contratos futuros de petróleo fecharam ontem em alta em Londres (International Petroleu

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso