Diário da Região

24/03/2007 - 15h19min

Irregularidades

Justiça manda fechar terminal da Cargill no Pará

Irregularidades

O terminal graneleiro da Cargill, trading multinacional de grãos, em Santarém (Pará), foi fechado na manhã deste sábado, por determinação judicial, devido a irregularidades ambientais, confirmou a Procuradoria da República no Pará. O terminal é responsável pelo escoamento de toda a soja produzida no centro-oeste do País. O desembargador federal Souza Prudente, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, determinou a paralisação imediata das atividades da multinacional norte-americana até que ela elabore os estudos de impacto ambiental, o conhecido EIA-Rima. A análise deve ser realizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e pela Secretaria Executiva de Ciência Tecnologia e Meio Ambiente (Sectam). Segundo a assessoria da Procuradoria da República do Pará, o terminal foi vistoriado nesta manhã por procuradores, pelo Ibama e pela Polícia Federal e teve as entradas lacradas. A decisão de Prudente ordena cumprimento de sentença proferida no ano 2000 pelo juiz federal Dimis da Costa Braga, que suspendeu as licenças do terminal concedidas pela Sectam.

A Cargill, em nota, anunciou que deverá recorrer da decisão, alegando que Prudente "extrapolou uma decisão de primeira instância, ampliando indevidamente o mérito". A empresa enfrenta ainda protesto de grupos ambientais, como o Greenpeace, que contesta a legalidade de seu terminal. O desembargador decidiu pela interrupção das operações da empresa por entender que ainda está em vigor uma medida cautelar requerida há sete anos. "Ele desconsidera o conteúdo da sentença de primeira instância, que foi clara ao não prever o fechamento do terminal graneleiro", diz a empresa, entendendo que a decisão agora tomada é "contrária ao que preconiza o sistema legal brasileiro". O procurador da República em Santarém, Felipe Fritz Braga, considera que a palavra do TRF confirma o entendimento do Ministério Público Federal e garante, "finalmente", o cumprimento da Constituição e da legislação ambiental no caso do terminal graneleiro da Cargill, com a paralisação das atividades da empresa e a elaboração do EIA-Rima. "A decisão é histórica e muda o paradigma de ausência de governança e institucionalização na região", afirma Braga.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso