X
X

Diário da Região

18/09/2017 - 09h20min

Brasília

IPCA para 2017 cai de 3,14% para 3,08%, prevê Focus

Brasília

Sob influência da ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, divulgada na semana passada, os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o IPCA - o índice oficial de preços - para este e o próximo ano. O Relatório de Mercado Focus divulgado na manhã desta segunda-feira, 18, pelo BC, mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,14% para 3,08%. Há um mês, estava em 3,51%. A projeção para o índice de 2018 foi de 4,15% para 4,12%, ante 4,20% de quatro semanas atrás. Na prática, as projeções de mercado agora divulgadas no Focus indicam que a expectativa é que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%). Portanto, a projeção para este ano está cada vez mais próxima do piso para cumprimento da meta. No dia 6 de setembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) havia informado que o IPCA subiu 0,19% em agosto. O resultado ficou abaixo do piso das estimativas do mercado (de 0,22% a 0,47%). Já a ata do encontro do Copom, publicada no dia 12, reforçou a mensagem de que o BC pretende reduzir o atual ritmo de cortes da Selic (a taxa básica de juros). Após ter cortado os juros em 1 ponto porcentual no início do mês, de 9,25% para 8,25% ao ano, o BC indicou a intenção de, no fim de outubro, promover corte mais moderado. Já a projeção do Copom para o IPCA em 2017 já está em 3,3%. Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 no Focus foi de 3,15% para 2,84%. Portanto, estas casas já preveem que o BC não cumprirá a meta, já que a inflação ficará abaixo do piso de 3%. Para 2018, a estimativa do Top 5 foi de 4,19% para 4,14%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,38% e 4,00%, respectivamente. Já a inflação suavizada para os próxiiario-anuncie" title="Anuncie">Anuncie
  • Contato
    Nossas Publicações

    Nossas Jornais

  • 18/09/2017 - 09h20min

    Brasília

    IPCA para 2017 cai de 3,14% para 3,08%, prevê Focus

    Brasília

    Sob influência da ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, divulgada na semana passada, os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o IPCA - o índice oficial de preços - para este e o próximo ano. O Relatório de Mercado Focus divulgado na manhã desta segunda-feira, 18, pelo BC, mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,14% para 3,08%. Há um mês, estava em 3,51%. A projeção para o índice de 2018 foi de 4,15% para 4,12%, ante 4,20% de quatro semanas atrás. Na prática, as projeções de mercado agora divulgadas no Focus indicam que a expectativa é que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%). Portanto, a projeção para este ano está cada vez mais próxima do piso para cumprimento da meta. No dia 6 de setembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) havia informado que o IPCA subiu 0,19% em agosto. O resultado ficou abaixo do piso das estimativas do mercado (de 0,22% a 0,47%). Já a ata do encontro do Copom, publicada no dia 12, reforçou a mensagem de que o BC pretende reduzir o atual ritmo de cortes da Selic (a taxa básica de juros). Após ter cortado os juros em 1 ponto porcentual no início do mês, de 9,25% para 8,25% ao ano, o BC indicou a intenção de, no fim de outubro, promover corte mais moderado. Já a projeção do Copom para o IPCA em 2017 já está em 3,3%. Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 no Focus foi de 3,15% para 2,84%. Portanto, estas casas já preveem que o BC não cumprirá a meta, já que a inflação ficará abaixo do piso de 3%. Para 2018, a estimativa do Top 5 foi de 4,19% para 4,14%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,38% e 4,00%, respectivamente. Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,14% para 4,07% de uma semana para outra - há um mês, estava em 4,43%. Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para setembro de 2017 caiu de 0,26% para 0,23%. Um mês antes, estava em 0,32%. No caso de outubro, a previsão de inflação do Focus foi de 0,36% para 0,35%, ante 0,37% de quatro semanas atrás. Preços administrados O Relatório Focus indicou manutenção na projeção para os preços administrados neste ano. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador em 2017 seguiu com alta de 6,43%. Para 2018, a mediana permaneceu em 4,70%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 6,00% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,70% em 2018. Na ata do último encontro do Copom, publicada na terça passada, o Banco Central projetava alta de 7,5% para os preços administrados em 2017 e avanço de 5,2% em 2018. Outros índices O Focus mostrou, ainda, que a mediana das projeções do IGP-DI de 2017 passou de -1,01% para -0,92% da última semana para esta. Há um mês, estava em -1,03%. Para 2018, a projeção seguiu em 4,50%, mesmo valor de quatro semanas atrás. Calculados pela Fundação Getulio Vargas (FGV), os Índices Gerais de Preços (IGPs) são bastante afetados pelo desempenho do dólar e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas. Outro índice, o IGP-M, que é referência para o reajuste dos contratos de aluguel, foi de -0,88% para -0,85% nas projeções dos analistas para 2017. Quatro levantamentos antes, estava em -0,72%. No caso de 2018, o índice passou de 4,43% para 4,41%, ante 4,44% de um mês atrás. Já a mediana das previsões para o IPC-Fipe de 2017 seguiu em 2,53% para no Focus. Um mês antes, a mediana das projeções do mercado para o IPC era de 3,05%. Para 2018, a projeção do IPC-Fipe seguiu em 4,23%, ante 4,50% de um mês antes.

    Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

    Di´rio Im&ocute;veis

    Di´rio Motors

    Esqueci minha senha
    Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

    Já sou assinante

    Para continuar lendo esta matéria,
    faça seu login de acesso:

    É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
    É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

    Assine o Diário da Região Digital

    Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

    Assine agora

    Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
    OUTROS PACOTES


    ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

    Cadastro Grátis
    Diário da Região
    Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
    Sexo
    Defina seus dados de acesso