X

Diário da Região

03/06/2015 - 17h35min

Brasília

Investimentos para renovar concessões de energia não afetarão tarifas, diz MME

Brasília

Os gastos das distribuidoras de energia elétrica para se enquadrarem às metas de qualidade e critérios financeiros exigidos para a renovação das concessões não serão repassados para as tarifas cobradas aos consumidores, esclareceu nesta quarta-feira, 3, a área técnica do Ministério de Minas e Energia (MME). O próprio decreto é específico ao dizer que não será dado tratamento tarifário diferenciado em função das condições exigidas para a prorrogação das concessões. "Nos cinco primeiros anos, trata-se de uma prorrogação condicionada, associada ao cumprimento das metas de qualidade e ao saneamento financeiro das empresas. Esses custos não serão repassados para as tarifas", acrescentou o MME. Segundo o Decreto 8.461, editado hoje, para prorrogar os contratos por mais 30 anos, as distribuidoras terão de atender a parâmetros mínimos de qualidade de prestação do serviço, além de comprovar eficiência com relação à gestão econômico-financeira, com modicidade tarifária e racionalidade operacional e econômica. A eficiência com relação à qualidade do serviço prestado será mensurada por indicadores que considerem a frequência e a duração média das interrupções do serviço público de distribuição de energia elétrica. A expectativa do ministério é de que os novos contratos sejam assinados em agosto. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai apurar o cumprimento desses indicadores anualmente. Caso eles não sejam alcançados no primeiro ano, a agência poderá obrigar os acionistas da distribuidora a aportar capital na empresa. Esses aportes, se necessários, não poderão ser repassados aos consumidores. Caso a distribuidora não cumpra uma das metas anuais por dois anos consecutivos ou qualquer uma das metas ao final do prazo de cinco anos, a concessão será extinta. Segundo o ministério, o detalhamento para a aplicação dessas regras para cada empresa será feito pela Aneel e as metas cobradas das grandes companhias do setor serão diferentes das exigidas de empresas menores. O órgão regulador deve abrir consulta pública sobre o processo na próxima semana. "Você vai comparar uma empresa pequena com outras pequenas e uma grande com as grandes", disse o MME. O decreto estabeleceu ainda que o desconto na Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (TUSD) será reduzido à razão de 20% ao ano após a prorrogação da concessão. Segundo os técnicos do MME, a redução do desconto da TUSD não se trata de uma pressão para que as 26 pequenas empresas - com mercado inferior a 500 GWh por ano - que hoje contam com o benefício sejam vendidas para as grandes. "As pequenas empresas já sabiam que haveria uma redução nesse subsídio e estão preparadas para isso. As empresas têm consciência de que precisam ter vida própria", completou o ministério.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso