X
X

Diário da Região

09/12/2016 - 08h57min

Rio

Intenção de investimento industrial sobe 2,6 pontos no 4º trimestre, aponta FGV

Rio

O Indicador de Investimento da Indústria, elaborado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), subiu 2,6 pontos no quarto trimestre deste ano, em relação ao trimestre imediatamente anterior. Com o resultado, o índice atingiu 93,0 pontos, o maior valor desde o primeiro trimestre de 2015 (100,8 pontos). "A segunda alta consecutiva do Indicador de Intenção de Investimentos no setor industrial é um aspecto positivo do resultado da pesquisa, mas que deve ser relativizado. Não só porque ainda predominam as respostas sobre a intenção de reduzir o investimento no próximo ano, mas também, por conta de um ajuste, para baixo, nas expectativas sobre o ambiente de negócios que vem sendo observado nos últimos meses no meio empresarial. Até aqui, esse movimento de melhora relativa do indicador abre apenas a possibilidade de uma redução no ritmo de queda dos investimentos produtivos nos próximos meses. O contexto geral, econômico e político, é ainda marcado pela elevada incerteza, o que afeta sobretudo as decisões de investimento", afirma Silvio Sales, consultor da Ibre/FGV. Segundo a sondagem, 17,8% das empresas pesquisadas informaram que, nos próximos 12 meses, planejam ampliar seus programas de investimento. No quarto trimestre do ano passado, eram 15,7% e, no terceiro trimestre deste ano, 14,8%. Já a parcela das indústrias que pretende reduzir os investimentos nos próximos 12 meses passou a 24,8% no quarto trimestre deste ano, em comparação a 30,8% em igual período do ano passado e 24,4% no terceiro trimestre. A FGV informa ainda que pelo terceiro trimestre consecutivo há mais empresas incertas sobre a realização dos seus programas investimento nos próximos 12 meses, 28,5%, do que certas, 23,1%. Com isso, o saldo do indicador de "grau de certeza dos planos de investimento" é de -5,4 pontos. Esse foi o menor porcentual de empresas certas sobre a execução dos investimentos, enquanto a proporção de empresas incertas caiu pelo segundo trimestre consecutivo. "O predomínio de empresas incertas decorre, provavelmente, da elevada imprevisibilidade tanto no cenário econômico, quanto no político, o que afeta as projeções de rentabilidade dos investimentos produtivos", informou a FGV. A Sondagem de Investimentos é um levantamento estatístico trimestral que fornece sinalizações sobre o rumo dos investimentos produtivos no setor industrial. A coleta de dados para a sondagem divulgada hoje ocorreu entre 3 de outubro e 30 de novembro. Foram ouvidas 798 empresas.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso