X
X

Diário da Região

07/06/2016 - 13h05min

São Paulo

ICV tem alta de 0,67% em maio e penaliza mais as famílias mais pobres, diz Dieese

São Paulo

A inflação na capital paulista penalizou mais as famílias com menor poder aquisitivo em maio, aponta cálculo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O Índice do Custo de Vida (ICV) registrou variação de 0,67% no quinto mês do ano. Além do agregado, o indicador calcula o custo de vida do consumidor paulistano por estrato de renda. Por este parâmetro, a inflação para as famílias do estrato 1, com renda média mensal de R$ 377,49, saiu de 0,57% em maio para 1,09% em maio. As famílias do estrato 2, com renda média de R$ 934,17, tiveram aumento de 0,55% para 0,83% no período. A inflação para os mais ricos - famílias do estrato 3, que têm renda média mensal de R$ 2.792,90, desacelerou de 0,58% para 0,51%. De junho de 2015 a maio de 2016, o ICV acumulou variação de 9,44%. Nas famílias pertencentes aos estratos de renda mais baixos foram observadas as maiores taxas: 10,22% para o estrato 1; 9,80% para o estrato 2; e 9,13% para o estrato 3. No acumulado do ano até maio, o índice geral foi de 4,25%. As taxas por estrato de renda apresentaram comportamento semelhante ao anual: 1º estrato, 4,68%; 2º estrato, 4,41%; e 3º estrato, 4,06%. Grupos A penalização da faixa mais pobre da população ocorre por causa do aumento dos preços nos grupos Alimentação, Despesas Pessoais e Habitação. Para o estrato 1, a alta de preços na classe de despesas Alimentação foi de 1,01% em maio, o que representou 0,41 ponto porcentual dos 1,09% da inflação a essas famílias. O reajuste dos cigarros fez com que a contribuição da classe de Despesas Pessoais, que teve alta de 5,46%, para a inflação dessas famílias, fosse de 0,33 ponto porcentual. Já o aumento da tarifa de água e esgoto da Sabesp foi o principal responsável pelo aumento em Habitação (1,17%), grupo que contribuiu com 0,27 ponto porcentual da taxa geral desse estrato. Por sua vez, a deflação no estrato 3 foi registrada em meio a preços mais baixos dos combustíveis. O grupo Transporte recuou 0,52% para essas famílias, o que representou deflação de 0,05%. Quatro dos dez grupos do ICV apresentaram taxas superiores ao índice geral (4,25%): Despesas Pessoais (12,00%), Educação e Leitura (7,78%), Alimentação (5,93%), e Saúde (4,60%). Nos outros seis, foram verificadas variações menores: Recreação (3,46%), Transporte (3,31%), Equipamento Doméstico (1,48%), Despesas Diversas (1,96%), Vestuário (1,39%) e Habitação (0,18%).

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso