X
X

Diário da Região

29/07/2016 - 10h40min

Rio de Janeiro

IBGE: País eliminou 1,486 milhão de vagas com carteira assinada em um ano

Rio de Janeiro

O mercado de trabalho registrou o fechamento de 1,486 milhão de vagas com carteira assinada no período de um ano até o final do segundo trimestre, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O montante representa uma redução de 4,1% no total de vagas formais no setor privado no segundo trimestre ante o mesmo período de 2015. O emprego sem carteira teve ligeiro aumento, de 0,2%, com 16 mil pessoas a mais na informalidade dentro do setor privado. O trabalho doméstico, por outro lado, teve a adesão de 224 mil trabalhadores no período de um ano, alta de 3,7% no total de empregados nessa condição. Já o trabalho por conta própria também aumentou em relação ao segundo trimestre de 2015, 3,9%, com 857 mil pessoas a mais. Indústria A indústria demitiu 1,440 milhão de trabalhadores no último ano, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O montante representa uma redução de 11% no contingente de trabalhadores da atividade no segundo trimestre, ante o mesmo período do ano passado. "A gente vê que a indústria, sem dúvida, é o grupamento que mais percebe essa crise", afirma Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE. São 1,4 milhão de pessoas a menos no contingente de trabalhadores da indústria. "Isso diretamente, sem contar aqueles que trabalham para a indústria, que sofrem esse impacto do fechar de portas da indústria, que são os trabalhadores terceirizados", apontou Azeredo. O coordenador do IBGE explica que o grupamento Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas foi atingido também pela crise na indústria. O grupamento demitiu 1,079 milhão de pessoas em um ano, redução de 10% no total de ocupados em relação ao segundo trimestre de 2015. "Esse grupamento carrega dentro dele os terceirizados, que são atingidos pela queda na indústria", justificou o coordenador do IBGE. (Daniela Amorim - daniela.amorim@estadao.com)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso