X

Diário da Região

10/06/2015 - 00h00min

Reestruturação

HSBC anuncia venda de ativos, mas mantém serviços

Reestruturação

Sergio Isso Em Rio Preto, o banco tem cinco agências e 100 funcionários
Em Rio Preto, o banco tem cinco agências e 100 funcionários

O banco HSBC anunciou ontem que está em processo de venda de ativos, mas que continuará operando normalmente no Brasil e que manterá os serviços aos clientes. Em Rio Preto, a mudança deve afetar cinco agências e cerca de 100 funcionários. O HSBC Holdings confirmou, em Londres, que pretende vender a sua operação no país, mas planeja manter presença no Brasil para atender aos clientes corporativos de grande porte em suas necessidades internacionais.

Segundo Edemilson Aparecido Favaron, secretário geral do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Rio Preto e Região, eles ainda não foram informados sobre o destino exato do banco e o que deve acontecer com esses trabalhadores. “Ouvimos alguns rumores sobre uma possível venda para outro banco, mas não há nada confirmado. Solicitamos ao HSBC uma reunião para esclarecimento do que vai acontecer.”

“O HSBC está empenhado em garantir a continuidade do negócio e uma transição suave e coordenada para um potencial comprador”, informou o banco em nota. O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal, evitou comentar a venda do HSBC. No evento de lançamento do plano de concessões no setor de infraestrutura, ontem, Portugal disse que essa é uma decisão de foro privado da instituição financeira.

Segundo o comunicado, o banco pretende economizar entre US$ 4,5 bilhões e US$ 5 bilhões até 2017 com o plano de reestruturação. Ainda de acordo com o informe, o HSBC quer aumentar seus investimentos na Ásia, principalmente na China e na região da Associação de Nações do Sul Asiático (Asean), por meio da expansão do gerenciamento de ativos e de seguros com foco nos mercados emergentes.

O anúncio foi feito cinco dias após o banco ter fechado um acordo com as autoridades da Suíça e vai pagar 40 milhões de francos suíços – cerca de R$ 134 milhões – para encerrar as investigações de lavagem de dinheiro na filial suíça da instituição. De acordo com o promotor-chefe de Genebra, Olivier Jornot, o acordo resultou no maior confisco já feito pela corte da cidade suíça. Em comunicado, o banco declarou que nem a instituição nem seus funcionários são suspeitos de qualquer crime.

O HSBC pediu desculpas aos clientes e investidores pelas falhas do passado nas operações suíças e informou que já revisou os seus procedimentos. O HSBC suíço estava sendo investigado desde fevereiro. Conhecida como Swissleaks, a investigação revelou documentos fornecidos por Hervé Falciani, ex-funcionário do HSBC em Genebra, ao jornal francês Le Monde e compartilhados com o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, que reúne profissionais de mais de 40 países. O HSBC, criado em 1865, emprega atualmente 266 mil pessoas em todo o mundo.

Clientes não devem sofrer com as mudanças

Para os clientes do HSBC que estão sem saber como a decisão do banco de sair do mercado brasileiro vai afetá-los, a Proteste Associação de Consumidores afirma que não há motivo para pânico. Em casos semelhantes, como na fusão do Itaú e Unibanco e da aquisição do Banco Real pelo Santander, não houve prejuízos significativos para os consumidores. O correntista que tem conta no HSBC não pode ser prejudicado com a saída da instituição do mercado brasileiro.

Como haverá um período de adaptação, por ora, os clientes continuarão a utilizar normalmente os diferentes canais de atendimento, cheques, cartões e demais produtos e serviços. Mas esse pode ser o momento de avaliar se não é o caso de mudar de banco, sem esperar que ele seja vendido. O HSBC esclareceu em nota que está sob processo de venda, mas ainda não de encerramento de operações no país, e que continuará operando normalmente mesmo após a venda.

Se o HSBC for vendido, o cliente precisa verificar se o serviço prestado pela nova instituição é do interesse dele, se vai ser mantido o mesmo relacionamento que já existe com o gerente, e acompanhar o que vai ser feito daqui para frente.

 

 

 

>> Leia aqui o Diário da Região Digital

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors