X
X

Diário da Região

24/07/2017 - 10h52min

São Paulo

Economia brasileira deve crescer 0,3% este ano, avalia FMI

São Paulo

O aumento da incerteza política e as dúvidas sobre as próximas medidas econômicas do presidente Michel Temer vão se refletir em um ritmo de recuperação da atividade mais contido, avalia o Fundo Monetário Internacional (FMI) em relatório de atualização de projeções divulgado durante evento na Malásia nesta segunda-feira, 24. A projeção é que a economia brasileira deva crescer 0,3% este ano, um dos menores níveis entre os principais mercados do mundo. Para 2018, o FMI projeta expansão de 1,3%, abaixo do 1,7% que previa no relatório "Perspectiva Econômico Mundial" divulgado em abril, durante a reunião de primavera da instituição, em Washington. A redução da projeção é por causa da crise política e da fraca demanda doméstica, segundo o documento divulgado nesta segunda. Ao mesmo tempo, a estimativa para 2017 teve leve alta na comparação com o relatório de abril, de 0,2% para 0,3%. A razão é que os números do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre acabaram surpreendendo positivamente. Um dos pontos positivos ressaltados pelo FMI sobre o Brasil no relatório agora divulgado é a "forte queda" da inflação, que contrasta com o movimento de outros emergentes, onde os índices de preços têm tido comportamento mais estável e mesmo os países desenvolvidos, onde se esperava aceleração da inflação, movimento que vem ocorrendo em ritmo mais suave que o projetado. Ao mesmo tempo, o relatório do FMI ressalta que "renovadas incertezas políticas" pressionaram o real, que teve desvalorização logo após a delação da JBS vir a público. Apesar do cenário mais incerto no Brasil, os fluxos de capital internacionais tem mostrado resistência e continuaram aportando no Brasil e em outros mercados emergentes. O fim da recessão no Brasil e na Argentina deve ajudar a América Latina a voltar a registrar crescimento positivo, destaca o FMI. A projeção é que após contração de 1% em 2016, o Produto Interno Bruto (PIB) da região cresça 1% em 2017 e 1,9% em 2018. Ainda na região, as estimativas para o México foram revisadas para cima e o país deve crescer 1,9% este ano. Apesar da volta ao crescimento na América Latina, os números ainda seguem abaixo das médias históricas, afirma o economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, em comentários apresentados durante a apresentação do relatório na Ásia.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso