X
X

Diário da Região

06/11/2015 - 20h10min

Nova York

Dow e Nasdaq fecham em alta e S&P recua com ajustes, em reação ao 'payroll'

Nova York

As bolsas dos EUA fecharam sem direção clara nesta sexta-feira, 6, com os índices Dow Jones e o Nasdaq em alta e o S&P-500 em leve baixa, depois de o informe sobre o número de postos de trabalho em outubro ("payroll") reforçar a expectativa de que o Federal Reserve (Fed) elevará as taxas de juro de curto prazo na reunião de dezembro. Os três índices acumulam seis semanas consecutivas de altas, o que não acontecia desde o ano passado, O mercado abriu am alta e o Dow Jones chegou a subir 49 pontos antes da divulgação do "payroll", passando a recuar depois disso. A recuperação do Dow e do Nasdaq aconteceu à tarde. Segundo o Departamento do Trabalho, foram criados 271 mil empregos em outubro, número que superou amplamente a previsão dos economistas consultados pelo Wall Street Journal, de 183 mil. Os números de postos de trabalho criados nos dois meses anteriores também foram revisados para cima, no total de 12 mil. A taxa de desemprego recuou para 5,0%, a mais baixa desde abril de 2008, de 5,1% em setembro. A taxa de participação na força de trabalho permaneceu estável em 62,4%, a mais baixa desde 1977. O número médio de horas trabalhadas por semana ficou estável em 34,5. O salário médio por hora subiu US$ 0,09, ou 0,36%, para US$ 25,20; em comparação com outubro de 2014, o salário médio subiu 2,5%, superando a média dos seis anos passados desde o fim da recessão, de 2,0%. O analista Craig Erlam, da Oanda, disse que "se dezembro era uma 'possibilidade viva' para uma primeira elevação das taxas de juro antes do informe de emprego de outubro, os números que saíram hoje podem ter tornado isso uma certeza. Desde a reunião em outubro, o informe de hoje era visto como um dos dois que poderiam levar o Fed a tomar uma decisão com base em indicadores. Com base nesses dados, a decisão aparece repentinamente como uma certeza. Os dados de hoje são tão fortes que mesmo que os números de novembro saiam fracos isso poderá não ser suficiente para encorajar o Fed a esperar um pouco mais". Na Chicago Mercantile Exchange (CME), os contratos futuros de Fed Funds projetavam hoje uma probabilidade de 69,8% de que a taxa dos Fed Funds seja elevada para 0,5% em dezembro; essa probabilidade estava em 58,1% ontem. Também em reação ao "payroll", os preços dos títulos do Tesouro dos EUA tiveram uma queda forte, com correspondente alta nos juros, e o dólar subiu diante de praticamente todas as moedas. Em Nova York, investidores venderam ações do setor de provedoras de serviços públicos (utilities), que tendem a oferecer retornos mais baixos em épocas de alta nos juros; o índice setorial de utilities do S&P-500 caiu 3,54%. Com a alta do dólar, também caíram as ações de multinacionais que obtêm uma parcela significativa de sua receita no exterior (Caterpillar, -0,51%, Procter & Gamble, -1,7%, e Coca-Cola, -0,87%). As ações das empresas de energia e mineração também caíram, acompanhando as baixas dos preços do petróleo e dos metais que resultaram da alta do dólar (ExxonMobil, -0,40%, Chevron, -0,55%, Duke Energy, -5,16%, e Freeport McMoRan, -6,36%). As do setor financeiro subiram,, já que um ambiente de taxas de juro mais altas permite aos bancos obter mais renda com a concessão de empréstimos (Bank of America, +3,70%, Goldman Sachs, +3,72%, e JPMorgan Chase, +3,04%). "Eu diria que o mercado está reagindo da mentira certa. A probabilidade de uma elevação das taxas de juro em dezembro já era alta antes do informe de hoje. Ele foi a cobertura do bolo", comentou Tom Porcelli, da RBC Capital Markets. As ações dos setores farmacêutico e de serviços de saúde caíram, em reação à intensificação das investigações do governo dos EUA sobre aumentos dos preços de medicamentos (Merck, -0,80%, UnitedHealth, -1,22%, e Pfizer, -0,64%). Entre as ações de empresas que divulgaram resultados, os destaques foram Disney (+2,36%), Kraft Heinz (-4,52%), News Corp. (-1,62%), Monster Beverage (+13,61%) e Dreamworks Animation (+14,70%). O índice Dow Jones fechou em alta de 46,90 pontos (0,26%), em 17.910,33 pontos. O Nasdaq fechou em alta de 19,38 pontos (0,38%), em 5.147,12 pontos. O S&P-500 fechou em baixa de 0,73 ponto (0,03%), em 2.099,20 pontos. Na semana, o Dow acumulou uma alta de 1,40%, o Nasdaq avançou 1,44% e o S&P-500 ganhou 0,95%. Fonte: Dow Jones Newswires

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso