Diário da Região

21/09/2011 - 02h00min

Mercado financeiro

Dólar volta a subir e fecha a R$ 1,79

Mercado financeiro

Divulgação Na BM&F, o dólar na modalidade pronto encerrou o dia na máxima, cotado a R$ 1,7965
Na BM&F, o dólar na modalidade pronto encerrou o dia na máxima, cotado a R$ 1,7965

Ao contrário da manhã, quando apresentou grande volatilidade, na segunda etapa dos negócios, ontem, o dólar se manteve em alta sem abandonar o patamar de R$ 1,79. A moeda dos EUA fechou com valorização de 1,13%, a R$ 1,7940, maior valor desde 1 de julho de 2010, quando valia R$ 1,7950. Na mínima, o dólar no balcão atingiu R$ 1,7690 e, na máxima, R$ 1,7980. Na BM&F, o dólar pronto fechou na máxima, a R$ 1,7965, elevação de 0,48%.


Na mínima, a moeda atingiu R$ 1,7880. O giro total à vista até 16h23 na clearing de câmbio era de US$ 1.708 bilhão, dos quais US$ 1,262 bilhão em D+2. No mercado futuro, no mesmo horário, o dólar outubro de 2011 recuava 0,47%, a R$ 1,7985, com giro financeiro de US$ 17,339 bilhões, de um total de US$ 17,439 bilhões, com seis vencimentos negociados.


Mercado de ações


Bovespa teve um pregão volátil, embora esse movimento tenha sido mais forte no início e no final do dia Ao longo da sessão, sustentou-se em alta, na casa dos 57 mil pontos, mas foi perdendo o vigor com o avançar das horas. Virou para baixo no fim, para fechar nos 56 mil pontos. A alta da Vale foi insuficiente para sustentar os ganhos do índice, principalmente depois que Petrobras virou e engrossou o peso das ações em queda, que já contava com o movimento das siderúrgicas.


O Ibovespa fechou em baixa de 1,27%, aos 56.378,63 pontos, na mínima pontuação do dia. Na máxima, registrou 57.620 pontos (+0,91%). No mês, voltou a acumular queda, de 0,21% e, no ano, cai 18,65%. O giro financeiro totalizou R$ 6,277 bilhões. “As incertezas estão muito grandes. Os investidores não se arriscam a ficar posicionados”, comentou um experiente profissional. Para ele, além do quadro externo, a situação doméstica também inspira cautela, ainda mais depois do IPCA-15 de setembro.


Vale fechou no azul, com +1,01% na ON e +0,96% na PNA. Essas ações foram puxadas pela alta do dólar, uma vez que a empresa é grande exportadora. Petrobras, por outro lado, virou e encerrou em queda de 1,13% a ON e 0,96% a PN, mesmo com o petróleo tendo subido 1,39% na Nymex, a US$ 86,89 o barril. A Bolsa também aprofundou a baixa no final da tarde depois que Wall Street perdeu fôlego.


O Dow Jones conseguiu segurar a alta, mas ela ficou limitada a +0,07%, aos 11.408,66 pontos. S&P recuou 0,17%, aos 1.202,09 pontos, e Nasdaq terminou com baixa de 0,86%, aos 2.590,24 pontos. As atenções estão voltadas para o resultado da reunião de dois dias do Fomc, iniciada ontem e também para o resultado das discussões entre Grécia e representantes da troica sobre uma solução para o país.


Quer ler o jornal na íntegra? Acesse aqui o Diário da Região Digital

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso