X
X

Diário da Região

19/01/2015 - 17h05min

São Paulo

Dólar fecha em alta de 1,1% após relatos de possível apagão

São Paulo


O dólar começou a semana em alta ante o real, acompanhando uma tendência global de ganhos da moeda norte-americana ante outras divisas de países emergentes e exportadores de commodities.

O ambiente também era de baixíssima liquidez em função do feriado do Dia de Martin Luther King nos EUA. Na tarde desta segunda-feira, 19,, porém, o cenário mudou. A trajetória de valorização foi acentuada na última meia hora dos negócios, quando o dólar foi às máximas e a Bovespa às mínimas, em meio a relatos de que Estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Espírito Santo estariam enfrentando um apagão.

Em meio aos receios de que possa haver racionamento de energia, os investidores correram para a segurança do dólar, que terminou o dia em R$ 2,6500 no balcão, em alta de 1,11%. Na máxima da sessão, marcou R$ 2,6540 (+1,26%). Na mínima, durante uma queda pontual pela manhã, chegou a R$ 2,6180 (-0,11%). Na BM&FBovespa, o dólar para fevereiro, que encerra apenas às 18h, era cotado em R$ 2,6635, em alta de 1,24%.

Até por volta das 15h, o viés para o dólar era de alta no Brasil, com a moeda acompanhando o que era visto no exterior. Mas quando começaram a circular pelas mesas de operação relatos de que algumas regiões de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Paraná estavam sem luz, o dólar passou a renovar máximas sequenciais.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) também determinou, naquele momento, que as distribuidoras reduzissem a oferta de energia nas regiões Sudeste e Sul.

"O mercado fica com medo de racionamento e corre para o dólar", resumiu João Paulo de Gracia Corrêa, gerente de câmbio da Correparti Corretora, ao justificar as máximas registradas no balcão na reta final dos negócios.

Esta corrida de fim de sessão, aliás, pode ter melhorado o giro. No mercado à vista, perto das 16h30, ele já somava US$ 1,352 bilhão, sendo US$ 1,140 bilhão em D+2. No segmento futuro, a moeda para fevereiro já havia movimentado cerca de US$ 6 bilhões.

Nos leilões de swap cambial realizados mais cedo, o Banco Central vendeu os 2 mil contratos ofertados na operação diária, num total de US$ 98,4 milhões, além dos 10 mil contratos na operação de rolagem de títulos que vencem em 2 de fevereiro de 2015, no valor total de US$ 489,0 milhões.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso