X
X

Diário da Região

02/10/2015 - 18h16min

São Paulo

Contratação de temporários para fim do ano deve cair 20%, aponta Asserttem

São Paulo

O elevado nível da taxa de juros, o avanço da inflação e a restrição ao crédito levarão as contratações de empregos temporários a uma queda de cerca de 20% no trimestre de outubro a dezembro, de 134.800 trabalhadores no ano passado para 107.800 neste ano. Os dados são da pesquisa "Temporários Natal 2015", da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem). Para o diretor jurídico da entidade, Marcos Abreu, a indústria adiou as contratações na esperança de que, com aproximação do fim do ano, o comércio fosse, em algum momento, retomar as encomendas. "Mas estamos perdendo a esperança de que isso possa acontecer", disse Abreu em entrevista ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, acrescentando que a cada indicador de produção e venda do comércio divulgado os sinais são de que as contratações não ocorrerão ou se darão no menor número possível. Normalmente, a indústria inicia as contratações de temporários entre agosto e setembro. "E isso este ano não aconteceu", lamentou o diretor da Asserttem. O executivo ressalta que o trabalho temporário possibilita o acesso diferenciado ao mercado de trabalho e é importante ferramenta na estratégia para ajustar o quadro de recursos humanos às sazonalidades. Proporciona oportunidades a estudantes, por exemplo, que não dispõem de tempo integral para o emprego regular, jovens em idade de serviço militar e trabalhadores que ainda não se decidiram por uma profissão . Ainda de acordo com Abreu, mesmo em um cenário em que as empresas estão reduzindo o quadro de trabalhadores, não é absurdo imaginar que pudessem ocorrer contratações de temporários porque os custos com estes trabalhadores são menores. "Sai mais barato demitir e, se preciso for, contratar temporários", disse. A queixa do diretor da Asserttem é de que as empresas não cumprem a lei do trabalho temporário, que estabelece seis meses como prazo mínimo de permanência do contratado na empresa. "A lei não é cumprida e ninguém faz nada", reclamou o executivo. Das contratações previstas para este ano, o comércio deve responder por 70% - ou 75.460 para o pico das contratações. Os maiores empregadores são o comércio de rua, os shoppings e os supermercados. Neste segmento, 65% das contratações estão na faixa de etária entre 18 e 40 anos com primeiro grau completo, mas desejável segundo grau. A indústria responde por 30% das contratações de temporários e a expectativa é a de que sejam empregados 32.340 pessoas. As principais empregadoras serão as indústrias de bens de consumo como alimentos, bebidas, brinquedos, vestuário e papel. Ainda de acordo com a pesquisa, 70% das contratações ficarão na faixa etária de 18 a 40 anos com segundo grau completo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso