X

Diário da Região

12/05/2015 - 10h55min

Brasília

Comunicações lideram queixas devido à complexidade de serviços, diz Berzoini

Brasília

O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, afirmou nesta terça-feira, 12, que os serviços de telecomunicações, devido à sua complexidade e grande necessidade de investimentos, resultam em uma certa tensão entre as empresas - que sempre visam a maximizar os seus lucros - e o poder concedente - que busca fiscalizar a boa prestação desses serviços. "Sempre há muitas reclamações e críticas", afirmou, ao iniciar apresentação na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado. Ele destacou que a telefonia e a internet são campeões de reclamações devido à capilaridade e interesse dos serviços, mas também pela necessidade de maior investimentos por parte das empresas. O ministro ressaltou as desigualdades regionais na cobertura de sinal, que refletem também as desigualdades sociais do País. "No Brasil temos problemas concretos, e temos que cobrar das operadoras que elas melhorem a qualidade dos serviços", completou. Berzoini voltou a dizer que o Programa Banda Larga para Todos deve ser apresentado em breve, propondo que a velocidade média da internet no Brasil passe dos atuais 6,8 megabits por segundo (Mbps) para 25 Mbps até 2018. "Queremos que o número de conexões de banda larga salte de 197 milhões para 300 milhões no período, alcançando 95% da população brasileira. A ideia é de que pelo menos 45% dos domicílios urbanos tenham fibras ópticas na porta", disse. Ele repetiu que o governo está estudando medidas de incentivo tributário e regulatório para que as empresas possam aumentar suas redes de fibras ópticas. Para o Programa Banda Larga para Todos, por exemplo, existe a possibilidade de realização de leilões reversos, cujos ganhadores seriam as companhias que demandassem menos créditos tributários para a realização dos investimentos. Cortes O ministro das Comunicações afirmou que tem negociado com a área econômica do governo para que projetos do setor, como o lançamento do satélite nacional e a construção de um novo cabo submarino ligando o País à Europa, sejam preservados do corte no orçamento deste ano. "Acreditamos realmente que o tratamento orçamentário das comunicações deve ser diferenciado. Sabemos das dificuldades deste ano e não queremos nos omitir do esforço geral do governo para o ajuste necessário à economia brasileira. Mas acreditamos que o setor é portador de futuro e seu investimento estratégico permite alavancar economia para um novo ciclo econômico, inclusive com a incorporação de novos setores industriais, afirmou.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso