X

Diário da Região

10/06/2015 - 17h49min

São Paulo

Commodities e alta das ações no exterior puxam ganho de 2% do Ibovespa

São Paulo

A Bovespa fechou em alta consistente nesta quarta-feira, 10, beneficiada pelo apetite ao risco nos mercados acionários globais e pela alta das commodities no exterior. No fim do dia, a bolsa subiu 2,01%, aos 53.876,44 pontos. O volume de negócios totalizou R$ 7,620 bilhões, segundo dados preliminares. No mês de junho, o Ibovespa acumula alta de 2,12% e no ano, de +7,74%. Uma onda de vendas de bônus da Alemanha, que provocou queda dos preços, levando os juros para as máximas no ano, ajudou a alavancar os rendimentos dos Treasuries e as bolsas da Europa e dos EUA no início do dia. O apetite por risco nos mercados acionários também recebeu impulso da alta dos preços do petróleo e do minério de ferro, que beneficiou ações do setor de energia e de mineração. Esse conjunto de fatores teve impacto direto na Bovespa, que operou com valorização superior a 2% por quase toda a sessão, após amargar perdas acumuladas de quase 3% desde quarta-feira passada. "Com os mercados animados lá fora, houve uma entrada grande de recursos para o Brasil. Isso está refletido na forte alta de papéis mais líquidos, com os de bancos e da Vale. Eles estavam puxando muito forte a bolsa", avaliou o economista Hersz Ferman, da Elite Corretora. No noticiário corporativo brasileiro, as ações da Petrobras fecharam em alta, com as ON em +0,71% e as PN em +0,62%, após terem registrado volatilidade durante a tarde em meio ao receio de que o plano de negócios demore mais que o esperado pelo mercado para ser divulgado. Entre os bancos, Banco do Brasil ON, +3,06%, Bradesco ON, +2,41%, Bradesco PN, +3,48%, Itaú Unibanco, +2,93%, e Santander Unit, +3,22%. As ações da Vale terminaram entre os maiores ganhos da sessão, junto com os papéis da Bradespar, um dos maiores acionista da companhia. Vale ON, +6,16%, Vale PNA, +4,77%, e Bradespar PN, +6,12%. O preço do minério de ferro subiu 1,9% no mercado à vista chinês, para US$ 65,1 a tonelada. Um dos destaques negativos da sessão foram as ações PN da Gerdau, que recuaram 2,44%, afetadas pela decisão do Credit Suisse de reduzir o preço-alvo do papel da companhia de R$ 12 para R$ 10, com manutenção da recomendação neutra. Ainda no setor, Gerdau Metalúrgica, -2,22%; Usiminas, -0,62%; e CSN, -1,15%.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso