X
X

Diário da Região

01/10/2015 - 21h39min

Brasília

BB tem condições de ser importante agente para ajudar País sair da crise

Brasília

O presidente do Banco do Brasil, Alexandre Abreu, afirmou que a instituição será um importante agente que contribuirá para o País a sair da crise. Segundo ele, o BB tem condições de apoiar fortemente os exportadores em meio à disparada do dólar. "Atravessei no banco 12 crises, essa é a 13ª e não é a pior que eu já vi", disse durante palestra no Ibmec, em Brasília, que tem como tema "Banco do Brasil: um banco de mercado com espírito público". Ele defendeu que a crise, atualmente, teve origens e fatores externos, mas admitiu que há também problemas domésticos. Abreu afirmou que, por conta desses problemas externos, o governo tomou uma série de medidas anticíclicas e que, agora, se acumularam. Abreu citou o preço do petróleo e do minério de ferro, que segundo ele perderam dois terços de seus valores, como parte dos problemas que alimentam a crise no Brasil. Além disso, ele lembrou que a China, um importante parceiro comercial do País, tem crescido menos. Do lado doméstico, ele afirmou que os problemas fiscais pesam nessa conta. Apesar do cenário desenhado por ele, Abreu colocou o banco como um meio para ajudar o País a sair da crise. "Nossa inadimplência está bastante controlada. Temos condições de apoiar fortemente as exportações. Temos condições de ser um importante agente para ajudar o País a sair da crise", afirmou. Questionado sobre concentração de mercado no Brasil, ele afirmou que "estamos em concentração máxima e não há mais espaço para o avanço dela". Ele disse, por sinal, que há espaço no mercado para "desconcentrar" o sistema bancário. Rentabilidade Alexandre Abreu afirmou também que a rentabilidade da instituição deve melhorar este ano, mas dentro guidance de 14% a 17%. Questionado sobre o porquê da rentabilidade das instituições privadas ter sido maior que a do BB, ele afirmou que dois bancos no País apresentam esse avanço, Itaú Unibanco e Bradesco. Ele argumentou, no entanto, que a rentabilidade do BB em comparação a padrões internacionais é elevada. Abreu afirmou ainda que quando se tem subida dos juros básicos (Selic), instituições com linhas de mais longo prazo, como o BB, são mais impactadas. O executivo ponderou que apesar do cenário, o resultado recorrente do BB no primeiro trimestre foi maior que o de igual período de 2014.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso