X
X

Diário da Região

04/03/2015 - 10h42min

Brasília

Índice do BC apura alta de 4,97% em preços de commodities em fevereiro

Brasília


Depois de forte queda em janeiro, os preços dos produtos básicos que mais afetam a inflação no Brasil subiram em fevereiro. De acordo com divulgação feita nesta quarta-feira, 4, o Índice de Commodities do Banco Central (IC-Br) registrou alta de 4,97% no mês passado ante janeiro, com avanço em todos os seus componentes nessa comparação na margem. Ao longo de todo o ano passado, o indicador subiu 5,47% e, em janeiro de 2015, caiu 5,14% também na margem.

Segundo o BC, o IC-Br passou de 141,76 pontos no primeiro mês de 2015 para 148,81 pontos em fevereiro. Com isso, o índice voltou a ser o mais alto desde dezembro do ano passado, quando estava em 149,44 pontos. Com comparações sempre feitas na margem, em dezembro, houve queda do indicador de 1,24%, após três meses consecutivos de elevação: em setembro subiu 1,01%; em outubro, +5,02% e, em novembro, +3,04%. O IC-Br atingiu o patamar mais elevado da série histórica do Banco Central, iniciada em janeiro de 1998, em março do ano passado, quando estava em 151,90 pontos.

Nos últimos três meses encerrados em fevereiro, o índice registra queda de 1,66% e, em 12 meses, de -0,71%. No acumulado do ano, há uma baixa de 0,42%. Para efeitos de comparação, o BC também divulga em seu documento que o indicador internacional de commodities, o CRB, que subiu 4,75% na comparação mensal e 1,98% na trimestral. Em 12 meses se mantém em alta (6,81%), assim como no acumulado do ano (0,57%).

O destaque do IC-Br de fevereiro foi, como no mês anterior, o grupo energia, mas em outra direção. Esses itens registraram forte alta, de 18,35%, na comparação mensal. Apesar disso, segue em baixa de 13,08% nos três meses encerrados em fevereiro. Em 12 meses, o recuo desse grupo é de 25,50% e, no acumulado do ano, de 0,07%. Neste segmento, estão inclusos preços de gás natural, carvão e petróleo, que passou por um momento de forte recuo no mercado internacional.

No caso dos preços de metais - alumínio, minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel - o avanço em fevereiro foi de 4,19% na margem, enquanto no trimestre houve uma perda de 1,45%. Em 12 meses, a alta é de 4,80% e, no acumulado do ano, há uma retração de 0,20%.

Ainda sobre o mês passado, houve uma elevação de preços no segmento agropecuário. Itens como carne de boi, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café, arroz e carne de porco, entre outros, aumentaram 3,33% em fevereiro ante janeiro. No trimestre, há elevação de 0,58%, assim como no acumulado de 12 meses (3,76%). No ano, no entanto, o indicador está negativo em 0,41%.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso