X
X

Diário da Região

21/10/2016 - 00h00min

CABRAS

Sesi Rio Preto recebe peça indicada ao Shell

CABRAS

Ale Catan/Divulgação Universo do cangaço inspira a estética do espetáculo
Universo do cangaço inspira a estética do espetáculo

Indicado ao Prêmio Shell deste ano, o espetáculo teatral Cabras - Cabeças que Voam, Cabeças que Rolam, da Cia. Teatro Balagan, chega ao Sesi Rio Preto para duas apresentações, nesta sexta e sábado, 21 e 22. Cabras é narrado, cantado, tocado e dançado por uma trupe de dez atores, que ora figuram como guerreiros que seguem para uma batalha, ora como fiéis de uma procissão ou, ainda, como uma família em festa. A peça aborda a guerra em diferentes aspectos, inclusive nas relações humanas e parentais. 

“Não é aquela guerra como a do Vietnã ou essa guerra moderna com drones”, sinaliza o assistente de direção Murilo de Paula. Trata-se da guerra no sertão, das guerras não oficiais que sempre findaram com a decapitação e exposição das cabeças de seus líderes. Maria Thais, que assina a direção, é professora do departamento de artes cênicas da Universidade de São Paulo. Cresceu ouvindo histórias como a do bando de Lampião, que causava pavor nos moradores dos vilarejos por onde passava. 

“Tudo partiu do cangaço”, frisa. Para não ficar somente no cangaço, a peça também discorre sobre a situação de conflito em países vizinhos, como Colômbia e México. Em seu processo de pesquisa sobre a tríade ‘guerra, festa e fé’, a Cia. Teatro Balagan também mergulhou nas histórias do norte de Minas Gerais, uma região seca e pobre recheada de crendices. O cenário da peça remete à seca do sertão, e os figurinos, criados por Marcio Medina, recorrem ao visual dos cangaceiros.

A história abordará também os conflitos parentais e o nomadismo. “O espetáculo é composto por 20 crônicas independentes (assinadas por Luis Alberto de Abreu), que não mantém uma relação entre si”, diz o assistente de direção. “A primeira parte da peça fala dessa guerra de resistência, de conflitos familiares. A segunda aborda a fé e a cultura, como a do caboclo. A terceira traz as festividades e os conflitos de geração.

E, por fim, o território. A cabra é o único animal que não respeita o território; ela rompe a cerca.” O espetáculo foi indicado ao Shell nas categorias figurino, iluminação (Aline Santine) e música (Dr. Morris). É a primeira vez que a peça é apresentada em Rio Preto. “Essa cidade tem uma história com o teatro. Tem um bom festival (FIT), e isso nos deixa com uma boa expectativa”, diz.

Serviço

  • Espetáculo Cabras - Cabeças que Voam, Cabeças que Rolam. Hoje e amanhã, às 20h. Teatro do Sesi Rio Preto. Gratuito. Reserva de ingresso: www.sesisp.org.br/meu-sesi

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso