Diário da Região

07/07/2016 - 00h00min

Pratas da Casa

O que os grupos da cidade têm a oferecer no FIT 2016

Pratas da Casa

Divulgação Deus Faz, o Diabo Tempera, da Cia. do Santo Forte, estreante no FIT: artistas da cidade vivem um misto de ansiedade e apreensão pelos rumos do festival
Deus Faz, o Diabo Tempera, da Cia. do Santo Forte, estreante no FIT: artistas da cidade vivem um misto de ansiedade e apreensão pelos rumos do festival

Com trajetórias e propostas diversificadas, seis grupos de Rio Preto e dois da região integram a programação da 16ª edição do Festival Internacional de Teatro (FIT), que tem início neste sábado, 9.

Os espetáculos que serão apresentados por esses grupos já estão com os ingressos antecipados todos esgotados. Aliás, foram os primeiros a serem procurados pelo público nas bilheterias da Oficina Cultural Fred Navarro.

“Ver os ingressos se esgotarem rapidamente é a garantia de que já estamos sendo vistos como grupo. Sem contar que aumenta ainda mais a ansiedade”, destaca o ator Ronaldo Celeguini, da recém-criada Cia. para Pessoas Solitárias, que apresentará no festival o espetáculo War.

Outro grupo que também estreia no FIT é a Cia. do Santo Forte, criada no ano passado pela atriz Tauane Alamino. “O FIT fez parte da minha formação como atriz. Foi muito importante antes de ingressar na faculdade de artes cênicas”, diz ela, que está no espetáculo Deus Faz, o Diabo Tempera.

Para a atriz Gisele Lançoni, da Cia. Ai dos Dois, o festival deste ano também tem sabor de estreia, apesar de já ter participado de várias edições com diferentes grupos teatrais.

O solo protagonizado por ela, A Velha Amorosa, uma coprodução com a Cia. da Boca, praticamente será apresentado pela primeira vez ao público no FIT, pois as sessões que ela já realizou foram todas fechadas. “O espetáculo acabou de sair do forno e já está em um festival como o FIT. É um grande desafio. Estou ansiosa”, declara Gisele.

Já a Cia. Cênica faz um caminho inverso com o espetáculo Sabiás do Sertão, que integra a programação do FIT após três anos de apresentações praticamente ininterruptas em festivais e mostras pelo Brasil.

“Nós circulamos com o Sabiás antes de irmos para o FIT. Não somos focados nesse festival; ele é só uma consequência do nosso trabalho”, diz Fagner Rodrigues, diretor da Cia. Cênica.

Para o ator Rupert Azevedo, do grupo Dramanatrama, de Votuporanga, a participação no festival rio-pretense serve para coroar a retomada do teatro em sua cidade.

“O teatro votuporanguense ficou parado por muitos anos, não estando presente nos festivais da região. E isso é uma situação que queremos reverter”, diz ele, que protagoniza o solo Mnemonia - Um Poeta e Sua Inquietações.

Clima de preocupação

A ansiedade não é o única sensação que toma os artistas locais que vão participar do FIT. Os grupos ouvidos pelo Diário também demonstraram preocupação com os rumos do festival, que neste ano terá sua edição mais compacta.

Entre os problemas desta edição, foram apontados a ausência dos espetáculos de rua, a presença de apenas uma peça para o público infantil (Pequenos Olhos, da Cia. dos Pés, também de Rio Preto) e a redução no número de atividades formativas.

“É o último FIT realizado por essa administração municipal. Acredito que o ano que vem será decisivo para o futuro do festival. Precisaremos travar um diálogo intenso com quem assumir a Prefeitura”, sinaliza o diretor da Cia. Cênica.

“O festival precisa voltar a causar uma comoção na cidade, mobilizar as pessoas. A ausência dos espetáculos de rua só serviu para afastar ainda mais o festival do público, das pessoas que estão na periferia. É uma chama que está se apagando”, reforça o ator da Cia. para Pessoas Solitárias.

Programe-se

LONGOS ANOS (Cia. Hecatombe)
De 9 a 15, às 23h, na Swift

SABIÁS DO SERTÃO (Cia. Cênica)
Dia 9, às 21h, e dia 15, às 19h, na Swift

PEQUENOS OLHOS (Cia. dos Pés)
Dia 10, às 15h e 18h, na Swift

DEUS FAZ, O DIABO TEMPERA (Cia. do Santo Forte)
Dias 12 e 13, às 19h, na Swift

WAR (Cia. para Pessoas Solitárias)
Dias 12 e 13, às 21h, na Swift

A VELHA AMOROSA (Cia. da Boca e Cia. Ai dos Dois)
Dia 14, às 17h e 19h, na Casa de Cultura

MNEMONIA (Dranatrama Teatral - Votuporanga)
Dia 10, às 19h, na Casa de Cultura

A VIDA É SONHO (Cia. Boccaccione)
Dia 11, às 20h, na Casa de Cultura

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso