X
X

Diário da Região

24/07/2017 - 08h30min

São Paulo

Noémie Saglio e as dificuldades do mercado de trabalho

São Paulo

Noémie Saglio e Camille Cottin são naturalmente engraçadas, quando juntas. As duas estiveram no Brasil, em junho, integrando a delegação francesa no Festival Varilux. Fizeram trapalhadas dignas de... Quem?... no palco do Odeon, no Rio, ao apresentar Tal Mãe, Tal Filha. Humor verbal, gestual. Noémie escreve e dirige, Camille interpreta. "Ela escreve para mim", contou Camille. E Noémie - "Camille sou eu diante da câmera. Temos um entendimento que independe das palavras. Às vezes, sinto que a cena não está rendendo e peço a Camille para improvisar. Ela me surpreende fazendo sempre justamente o que não estou conseguindo verbalizar." Há dois anos, outro filme de Noémie Saglio trouxe o ator Pio Marmaï a outro Festival Varilux. Beijei Uma Garota. A cura gay! Pio, casado com homem, acorda na cama com uma garota. Sua vida sofre um revertério e, a despeito dos pais - que preferem o 'marido', e do próprio companheiro -, ele vai adiante com a ligação hétero. Tal Mãe, Tal Filha é agora sobre mãe e filha que engravidam ao mesmo tempo. Camille e Juliette Binoche. Noémie conta, ou melhor, reclama. "Você deve estar acostumado a ouvir mulheres reclamando do mercado de trabalho." Com certeza. As atrizes queixam-se da ausência de bons papéis para mulheres maduras e da diferença salarial - atores, em geral, ganham mais. E Noémie - "Eu não apenas ganho menos como existem colegas que nem me consideram diretora. Eu e minhas comediazinhas. Não me levam a sério. Gostaria de dirigir um filme de carro, de porrada, mas na França isso é impraticável. Sou uma 'diretora', entre aspas, de mulherzinhas." Noémie queria fazer um filme sobre diferenças geracionais e inversão de papéis. Que melhor história que mãe e filha grávidas? "Não temos muita diferença de idade, Camille e eu, então, pertencemos à mesma geração. Somos filhas das mulheres libertárias que viveram a revolução dos anos 1960. Sexo, drogas e rocknroll. Nós, pelo contrário, somos filhas da hecatombe. Crescemos ouvindo que o mundo ia piorar, não teria solução, que a competitividade seria imensa no mercado e as mulheres, discriminadas. Bem, aconteceu, não?" Tal Mãe, Tal Filha nasceu para refletir esse estado do mundo. A inversão de papéis - mamãe, que sempre foi hippie, não mudou nada com a idade. Continua meio inconsequente, ao contrário da filha, que leva adiante a gravidez das duas. É uma história autobiográfica? - "Ah, não", diz a diretora. "É pessoal porque sempre me aproprio do que sinto e observo nos outros e em mim mesma, mas Juliette (Binoche) não é calcada em minha mãe. O pai, eu até diria que tem alguns elementos do meu." Camille Cottin fala de sua personagem - "Gosto de fazer humor por causa disso. As mulheres de minha geração são muito estressadas. Essa coisa de competir para se afirmar no universo masculino esgota qualquer uma. Ao fazer humor, podemos brincar com tudo isso. Criticar desde dentro. É muito libertador." E Juliette Binoche, como entrou no projeto? "Simples, precisava de uma mulher madura que fosse sexy. Imediatamente, pensamos, Camille e eu, em Juliette. Liguei para sua agente, para ver se lhe interessaria fazer uma comédia? Ela justamente disse que Juliette andava reclamando que só lhe ofereciam personagens de dramas. E aí aconteceu de ela fazer duas comédias - meu filme e o de Bruno Dumont, Ma Loute/Mistério na Costa Chanel. Juliette é ótima, divertida, a antiestrela. Mas na França fui criticada pela pouca diferença de idade entre as personagens. Sinto por quem não gostou. Estou muito feliz com minhas atrizes." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso