Diário da Região

14/07/2006 - 21h48min

Loucos por teatro

Maratona de peças do FIT: é preciso disposição

Loucos por teatro

Sergio Menezes Jef Telles e Laís Iracema, da Companhia Núcleo 2: atores e espectadores
Jef Telles e Laís Iracema, da Companhia Núcleo 2: atores e espectadores
Assistir às 50 peças do Festival Internacional de Teatro de Rio Preto é, humana e logisticamente, impossível. Porque apesar de todos os trabalhos (à exceção de ?Um Molière Imaginário?, do Galpão, apresentado só ontem como convidado na abertura do FIT) realizarem três sessões, vários horários se chocam e é inevitável, por menos que se queira, abrir mão de algum. Mas sempre tem aquela turma que é louca por teatro e submete-se a uma verdadeira maratona teatral nos intensos 10 dias em que transcorre o FIT, ?overdose? que segundo eles no final vale a pena. Não só porque o festival acontece uma vez no ano, mas porque abre a cabeça para as muitas faces do teatro. ?O grande barato é que o festival é uma mostra de tudo que está acontecendo no teatro brasileiro e do mundo, e para mim, que sou ator, cada peça é como uma aula. Não queria perder nada e dá um frio na barriga de saber que não vai dar?, diz Jef Telles, que foi o primeiro a chegar no setor de ingresso do FIT no primeiro dia de venda.

?Cheguei com minha namorada às 4 da manhã, com cafezinho e cobertor?, lembra (a bilheteria só abriria às 9). A maratona para Telles, que comprou 22 ingressos, será ainda maior este ano por um motivo especial: ele é ator do Núcleo 2, grupo rio-pretense que apresentará no festival o espetáculo ?O Abajur Lilás?, hoje, amanhã e segunda, às 21 horas. ?Neste fim-de-semana, queremos assistir o que vem antes e depois. Acabando ?O Abajur...?, não vamos fazer outra coisa senão FIT, dia e noite?, diz. ?A gente ficou mais de duas horas, cada um em sua casa, para escolher as peças e ficar esperto pra não bater?, diz Bruna da Matta Sarubo, também atriz do Núcleo 2, mas que terá um pouco mais de ?sorte? do que o colega Jef, porque não faz parte do elenco da peça. Bruna comprou ingressos para 22 peças.

?O festival proporciona, em 10 dias, um contato com culturas diferentes, porque vêm espetáculos de vários Estados do Brasil?, comenta Jefferson Santanielo, que até ontem trabalhou na produção gráfica do FIT (e que desde hoje está ?livre para curtir o festival?). ?Comecei a assistir às peças em 2003, quando passei a trabalhar na equipe do festival. Antes não me interessava por teatro?. A promessa de assistir a mais de 20 peças mostra que Santanielo não pensa mais assim.

Dez dias, 2 mil minutos de teatro
Este ano, decidi me entregar ao FIT, mergulhar de cabeça na programação, me empapuçar de tanta peça, algo que nas edições anteriores se mostrou inviável, não porque faltasse a disposição de agora, mas porque me consumia a redação o tempo de todo um dia. Como, aliás, continuará consumindo até o dia 23. Desta vez, porém, me organizei antes, estudei a programação com calma, calculei o tempo dos espetáculos com o tempo e a quilometragem gastos entre um teatro e outro, nada ficou para trás. Assim, defini que, das 50 peças da grade do festival, vou assistir a 25, pelo menos, não menos do que isso. A metade parece pouca, mas é muito, é o meu limite (logisticamente falando). Ao final do FIT, terei acumulado 2 mil minutos, redondos, de espetáculos, e cerca de 34 quilômetros percorridos entre um espaço e outro de encenação.

O deslocamento, aliás, foi facilitado este ano pelo grande volume de peças na Swift. Hoje, e nos dias 20 e 21 (quinta e sexta-feira), por exemplo, terei assistido a oito espetáculos em cinco diferentes espaços sem precisar dar mais do que alguns passos - já que todos estão espalhados pela velha fábrica. É uma maratona, uma imersão sim, sem a qual (e é aqui que se justifica essa ?experiência?) não se vive o teatro, pleno, plural e rico, que a programação este ano oferece.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso