Diário da Região

08/01/2005 - 11h52min

Híbrido

Inglês US3 pesquisa novos ritmos

Híbrido

Divulgação O produtor musical e criador do US3, Geoff Wilkinson
O produtor musical e criador do US3, Geoff Wilkinson
Pouco mais de 10 anos depois de promover uma revolução na cena musical londrina e posteriormente nas pistas de todo o mundo, ao unir o jazz aos elementos do hip hop, o US3 está descobrindo em ritmos como o funk e soul latinos, rythm?nblues, lounge e nu-soul, uma maneira de conservar o conceito híbrido que norteia as criações do grupo desde ?Hand On Torch?, seu primeiro disco, sem precisar recorrer à mesma fórmula usada nos anos 90. A cara do US3 do século 21 está espelhada em ?Questions?, seu quarto e mais recente álbum, lançado apenas no Japão e há poucos meses na Europa. ?Este é o primeiro álbum independente que lancei. A logística de lançar um disco em muitos países ao mesmo tempo é complicada. Então eu licenciei ?Questions? para a Toshiba EMI no Japão e eles lançaram primeiro.

Então lancei na Europa. E agora acabei de assinar um acordo de distribuição nos EUA. Lá o lançamento acontece em abril?, contou, ao Diário, o produtor musical e idealizador do US3 Geoff Wilkinson, de sua casa em Londres, enquanto tentava se recuperar de uma gripe que pegou da filha Asa, de dois anos. ?Este é o problema com as crianças: elas não conseguem manter nada só para elas?, brinca. Não há planos, ainda, de lançamento de ?Questions? no mercado latino. É possível conseguir o disco pelo site oficial do grupo - www.us3.com. A única apresentação do US3 no Brasil ocorreu em outubro de 94, em São Paulo. Em março, o grupo inglês inicia uma turnê de 35 shows pela Europa e depois segue para o verão norte-americano (julho). Uma passagem pela América do Sul, infelizmente, não está na pauta da turnê. ?Não há planos de levar a banda de volta para o Brasil, mas como faz 10 anos que tocamos aí, adoraria poder voltar.

Se algum promotor de shows estiver lendo isto, que me mande um e-mail?, diz. ?Questions? é o primeiro álbum do US3 em que Wilkinson não fez uso de qualquer sample. No disco, ele apresenta dois novos vocalistas, o rapper Reggi Wyns, do Brooklin, e a cantora MPho Skeef, que lançará carreira solo este ano. Se os três primeiros discos do grupo (?Hand On Torch?, ?Broadway & 52 th? e ?An Ordinary Day in an Unusual Place?) ajudaram a consolidar um rótulo que depois se espalhou por todo o mundo, o ?Acid Jazz?, em ?Questions? o US3 flerta mais com o que se convencionou chamar de ?world music?, misturando sons mais urbanos.

Jazz para a juventude
O ?Acid Jazz? varreu das pistas de Londres no final da década de 80 e parte da de 90 a música dançante pobre, que barrava a qualidade na porta. Era uma turma que vinha da escola funk americana setentista e agregava elementos do jazz, do hip hop e do soul, abarcando desde aquela época um pouco do groove latino. Foi nessa onda que nasceram bandas como Jamiroquai, Incognito, James Taylor Quartet, Digable Planets, Brand New Havies e o rapper Guru, com seu belo projeto Jazzmattazz, entre outros. O US3, porém, destacou-se pela ousadia de criar uma sonoridade totalmente dançante e jovial a partir da união do velho jazz ao novo hip hop - o que fez descabelar os puristas, mas atraiu a moçada e até despertou seu interesse pelo jazz tradicional. Isso porque Wilkinson e seu chapa Mel Simpson (co-criador do US3) convidaram para formar o grupo músicos de jazz de verdade, como os saxofonistas Mike Smith, Steve Williamson e Ed Jones (este último parceiro de Wilkinson em seus projetos até hoje) e rappers de respeito, como Kobie Powell e Rahsaan Kelly.

Sem contar que o US3 simplesmente conseguiu a permissão de abrir o baú de preciosidades da Blue Note, principal selo de jazz no mundo, para dar início à sua salada híbrida. ?Já havíamos chamado a atenção da Blue Note depois de lançar uma música chamada ?The Band Played the Boogie?, que sampleei de ?Sookie Sookie?, de Grant Green. Foi isso que nos abriu as portas. Acho que ficaram intrigados para saber até onde iríamos. Fiz algumas demos e uma delas era ?Cantaloop?, em março de 1992. Depois do resultado de ?Cantaloop?, nos deixaram revirar em tudo?, diverte-se. Baseado na canção original do pianista Herbie Hancock, "Cantaloupe Island?, a v

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso