X
X

Diário da Região

15/03/2017 - 00h00min

Coopen

Filme convida os homens a pensar sobre as mulheres

Coopen

Guilherme Baffi Primeira foto mostra alunos da Coopen, equipe técnica e produtor Guilherme Valadares (camisa azul) durante as gravações do documentário em novembro de 2015
Primeira foto mostra alunos da Coopen, equipe técnica e produtor Guilherme Valadares (camisa azul) durante as gravações do documentário em novembro de 2015

O documentário Precisamos Falar com os Homens – Uma Jornada pela Igualdade de Gênero, produzido pela ONU Mulheres e pelo site Papo de Homem, será exibido neste sábado, 18, em Rio Preto. O longa busca aproximar os homens do debate em defesa dos direitos das mulheres e também entender como eles podem participar do diálogo pela igualdade de gênero. A sessão será no Cinépolis do Shopping Iguatemi.

O documentário é resultado de uma pesquisa que passou por todas as regiões do País para entrevistar mais de 20 mil brasileiros e brasileiras e para conversar com especialistas e estudiosos de gênero. O filme traz dados sobre como homens e mulheres entendem o papel de ambos na busca da equidade de gênero e os principais ‘insights’ deste estudo. Guilherme Valadares, fundador do Papo de Homem e produtor do documentário, afirma que o filme é um grande convite à conversa. 

“Seu propósito é fazer com que os homens se aproximem desse diálogo, de maneira acolhedora, didática e construtiva. Já existem muitos materiais cujo foco é a denúncia do problema. O foco do nosso documentário é como podemos fazer a transformação acontecer. E o mais rápido é envolvendo homens e mulheres, como aliados. Afinal, se eles são parte do problema, é natural que sejam também parte da solução”, diz.

A ideia do documentário surgiu no começo de 2015 e estreou em novembro do ano passado. Neste cenário, entre concepção, estruturação, captação, pesquisas qualitativa e quantitativa, edição, finalização, foram dois anos de trabalho. E Rio Preto integra o filme. A Coopen é a única escola do Brasil a participar do documentário e foi escolhida por ter seu reconhecido trabalho educacional pela igualdade entre homens e mulheres.

Valadares elogia o DNA da instituição rio-pretense. “A escola tem um belíssimo trabalho, enxerga de maneira ampla a formação humana dos alunos, para além de aprovar no vestibular. E por coincidência, descobrimos que eles usaram um texto publicado por nós como gancho pra rodas de conversas com os alunos. Foi à partir daí que chegamos neles, conhecemos toda a filosofia da escola e decidimos usar a Coopen como escola representativa dessa necessária mudança em nossa educação.”

No documentário, o espectador verá a opinião de professores e alunos de Rio Preto. “A Coopen nos abriu as portas para coletar depoimentos. E, além disso, organizaram uma palestra educacional com os alunos e nos ajudaram também a realizar uma roda de conversa apenas com alguns adolescentes homens. A participação deles foi fundamental no documentário”, explica.

 

Cena do Documentário - 15032017 Imagem retrata uma das cenas do filme

É preciso discutir

Valadares afirma que é preciso falar sobre assunto com crianças, jovens, adultos e idosos. “Vivemos em um país no qual inúmeras mulheres são atacadas, violentadas e estupradas todos os dias - na maior parte dos casos, por homens que já conhecem, e não por homens monstruosos e desconhecidos, como muitos imaginam.”

Segundo ele, hoje existe uma baixíssima representação das mulheres entre as lideranças de negócios e política, mesmo com vários estudos ao redor do mundo apontando como elas são líderes extremamente eficazes e como empresas com mais diversidade tendem a ser mais lucrativas também. Fora isso, o machismo também afeta os próprios homens. 

“Eles vivem sete anos a menos do que as mulheres, se suicidam quatro vezes mais, são mais de 95% da população carcerária e mais de 90% dos homicídios. Não falo nada disso para vitimizar ou comparar sofrimentos, o ponto é entender o quão complexa e danosa a situação é para todos, ainda que em diferentes medidas. Como sociedade, podemos fazer melhor do que isso.” Após a exibição do documentário, haverá um bate-papo com a secretária municipal da Mulher, Maureen Cury, e a professora em direitos humanos da Unesp Ana Klein.

Serviço

  • Documentário Precisamos Falar com os Homens - Uma Jornada pela Igualdade de Gênero. Sábado, às 10h, no Cinépolis do Shopping Iguatemi. Entrada gratuita. Informações: (17) 3201-2020

Oficina para educadores e interessados

Além da exibição do documentário Precisamos Falar com os Homens, acontece no sábado, 18, às 14h, na Coopen, uma atividade relativa ao assunto. Trata-se da oficina Equidade de Gênero na Prática - Uma Conversa com Professores, que será coordenada pelas educadoras Etienne Janiake e Thaisa Person. Para participar é preciso fazer inscrição. As vagas são limitadas.

A oficina é indicada para educadores, da educação formal e não formal, estudantes de pedagogia, licenciaturas, psicologia, e demais interessados no tema. “Inicialmente, haverá um relato de nossas experiências com o trabalho de equidade de gênero, na escola e fora dela. Na sequência, serão abordados os conceitos fundamentais a respeito da questão, tais como igualdade, violência e estereótipos de gênero”, afirma Etienne.

Serão apresentados ainda materiais didáticos e paradidáticos que oferecem subsídio para o trabalho sobre equidade de gênero em sala de aula e ambientes educativos. “Será ainda conduzida uma roda de conversa que descortinará estratégias para uma educação que promova o respeito entre meninos e meninas, e o florescimento de relações mais saudáveis, pacíficas e igualitárias no ambiente escolar, revela Thaisa.

Serviço

  • Oficina Equidade de Gênero na Prática - Uma Conversa com Professores. Sábado, das 14h às 16h30, na Coopen. Vagas limitadas. Inscrições e informações: (17) 3201-2020.

Exemplo gerou mudança

A orientadora educacional Ettiene Janiake, que comanda as discussões da Coopen com a professora de redação Thaísa Person, afirma era comum presenciar no ambiente escolar uma série de atitudes machistas reproduzidas por meninos e meninas de maneira bastante naturalizada na escola. “Essas situações já vinham nos inquietando há algum tempo e era latente a necessidade de dialogar sobre elas.

Foi quando uma aluna da escola veio nos pedir ajuda por ter sofrido assédio por meio de mensagens extremamente violentas e desrespeitosas de um aluno”, explica. A orientadora conta que o relato do ocorrido e o pedido de ajuda da aluna sensibilizou e, a partir daí, as professoras resolveram chamar a comunidade para a conversa. “Desenvolvemos, durante alguns meses, várias rodas de conversas com os alunos do ensino fundamental e ensino médio, baseadas em textos e filmes e fizemos produções artísticas sobre o tema. 

Assim, a participação nas gravações do documentário veio para coroar o excelente trabalho desenvolvido pelos alunos. Para nós, educadoras, foi bastante gratificante ver como depois de conversas interessantíssimas, de experiências narradas, de medos e inseguranças compartilhados, a visão de muitos daqueles que, de início, olharam desconfiados para o tema se modificou para um olhar mais empático, mais respeitoso e mais questionador perante a sociedade.” 

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso