X
X

Diário da Região

12/09/2016 - 14h03min

OSCAR 2017

Comissão escolhe Pequeno Segredo para representar Brasil

OSCAR 2017

Divulgação Pequeno Segredo, que estreia dia 22, é baseado em episódio real ocorrido com a família Schurmann
Pequeno Segredo, que estreia dia 22, é baseado em episódio real ocorrido com a família Schurmann

Atualizado às 11h40

Foi constrangedor. Presidente da comissão que escolheu nesta segunda-feira, 12, o candidato brasileiro à indicação para uma vaga no Oscar, o cineasta Bruno Barreto alegou um compromisso - um almoço - e abandonou rapidamente o prédio da Cinemateca Brasileira, na Vila Clementino, onde foi feita a escolha. Substituiu-o o produtor gaúcho Beto Rodrigues, que foi curto e grosso. Depois de uma deliberação que, na verdade, foi rápida - segundo a assessoria da Cinemateca -, a comissão estabeleceu dois critérios de avaliação. Um, naturalmente, artístico e outro nascido de uma certa elucubração. Qual seria o filme com mais chances de agradar aos 'velhinhos' da Academia.

Com base nesses dois critérios, o escolhido para representar o Brasil na disputa por uma vaga no Oscar 2017 foi... Pequeno Segredo, de David Schürmann, um filme que ninguém viu ainda, nem mesmo os críticos especializados - só os integrantes da comissão. Pequeno Segredo estreia nacionalmente em 10 de novembro, mas, para cumprir o protocolo do prêmio, vai estrear no dia 22 no Cinespaço, em Novo Hamburgo (RS), enquanto Aquarius está em circuito nacional desde 1.º de setembro e já tem grande visibilidade internacional em festivais.

A surpresa do pequeno grupo de jornalistas presente à coletiva apenas antecipou a repercussão que, em seguida, chegou às redes sociais. Anna Muylaert, indicada no ano passado por Que Horas Ela Volta? - e que retirou Mãe Só Há Uma da disputa -, imediatamente postou que a decisão enterra muito mais que um filme, referindo-se a Aquarius, de Kleber Mendonça Filho. 

Havia a expectativa de que Aquarius fosse escolhido, justamente por conta da repercussão nacional e internacional que o filme está tendo. Desde a ‘atitude’ da equipe do filme, protestando contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na escadaria do Festival de Cannes, o filme virou emblema de um estado de insatisfação com muita coisa que ocorre no Brasil atualmente. Em bom português, numa época em que até o presidente da Câmara enche o peito para dizer que é de ‘direita’, Aquarius virou o emblema do que seria, ou é, a ‘esquerda’. Em Gramado, onde assistiram à apresentação do filme - fora de concurso - como parte da homenagem a Sonia Braga, o ministro Marcelo Calero, da Cultura, e o secretário do Audiovisual, Alfredo Bertini, foram vaiados aos gritos de ‘golpistas’. 

Surgiram suspeitas quanto à idoneidade da comissão do Oscar. Dois de seus integrantes demitiram-se e foram substituídos (por Carla Camurati e Bruno Barreto). Não ajudou muito o presidente da comissão ter desaparecido e se tornar incomunicável. De repente, todos os telefones que a assessoria do Ministério da Cultura forneceu ao repórter, no fim da coletiva na Cinemateca, pararam de funcionar. Só caixa postal, de alguns, e nenhuma resposta. 

De Toronto, onde participava de uma rodada de entrevistas - Aquarius integra a seleção do festival, considerado vitrine do Oscar -, Kleber Mendonça Filho teve uma reação muito ponderada. Disse que o filme dele propõe a visão mais honesta possível do País atual e por conta disso está tendo uma repercussão interna muito grande - aplausos em cena aberta, quase 200 mil espectadores nos cinemas brasileiros e convites intermináveis para eventos no exterior. Apenas cinco dos nove integrantes da comissão cumpriram a formalidade da coletiva. Quase todos estavam constrangidos, e manifestavam indignação face a qualquer suspeita. O único que comemorava era o crítico Marcos Petrucelli, que se posicionou nas redes sociais contra Aquarius tão logo foi integrado à comissão. Petrucelli foi irônico com o repórter - "É que nem futebol. A gente vai ao estádio querendo ver o time ganhar e ele perde."

O próprio David Schürmann, diretor de Pequeno Segredo, admitiu para o repórter que pulou de alegria ao saber que ganhou a indicação. Começa agora uma longa batalha para ele. Legitimar-se como candidato brasileiro ao prêmio da Academia. Distribuído pela Diamond, o longa vem ameaçando estrear desde junho. É até possível imaginar que venha a ser beneficiado - 200 mil espectadores, e muitos gritaram ‘Fora, Temer’ no fim das sessões, poderão se sentir logrados e querer conferir o filme que atropelou Aquarius no Oscar.

Concorrentes

Veja os indicados por outros países para o Oscar 2017

Alemanha - Toni Erdmann

Arábia Saudita - Barakah Meets Barakah

Armênia - Earthquake

Austrália - Tanna

Áustria - Stefan Zweig: Farewell to Europe

Bélgica - D'Ardennen

Bósnia e Herzegovina - Death in Sarajevo

Coreia do Sul - The Age of Shadows

Croácia - On The Other Side

Cuba - El Acompañante

Egito - Clash

Espanha - Julieta

Finlândia - Hymyilevä Mies

Geórgia - House Of Others

Holanda - Tonio

Hungria - Kills On Wheels

Iraque - El Clásico

Japão - Nagasaki: Memories of My Son

Luxemburgo - La Supplication

Marrocos - A Mile in My Shoes

Nepal - Kalo Pothi

Noruega - The King's Choice

República Dominicana - Flor de Azúcar

Romênia - Sieranevada

Sérvia - Diary of a Train Driver

Suécia - A Man Called Ove

Suíça - Ma Vie de Courgette

Tunísia - The Flower of Aleppo

Ucrânia - Ukrainian Sheriffs

Venezuela - De Longe te Observo

 

Brasileiros inscritos

Veja a lista dos 16 filmes brasileiros que estavam inscritos na disputa:

A Bruta Flor do Querer, de Dida Andrade e Andradina Azevedo

A Despedida, de Marcelo Galvão

Aquarius, de Kleber Mendonça Filho

Até Que a Casa Caía, de Mauro Giuntini

Campo Grande, de Sandra Kogut

Chatô - O Rei do Brasil, de Guilherme Fontes

Mais Forte Que o Mundo - A História de José Aldo, de Afonso Poyart

Menino 23: Infâncias Perdidas no Brasil, de José Belisário Franca

Nise - O Coração da Loucura, de Roberto Berliner

O Começo da Vida, de Estela Renner

O Outro Lado do Paraíso, de André Ristum

O Roubo da Taça, de Caíto Ortiz

Pequeno Segredo, de David Schurmann

Tudo Que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado

Uma Loucura de Mulher, de Marcus Ligocki Júnior

Vidas Partidas, de Marcos Schetchman

Edições passadas

Os filmes brasileiros selecionados para concorrer à indicação nas últimas seis edições do Oscar

Que Horas ela Volta?, de Anna Muylaert (2016) 

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro (2015) 

O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho (2014)

O Palhaço, de Selton Mello (2013) 

Tropa de Elite 2: o Inimigo agora é Outro, de José Padilha (2012)

Lula, o filho do Brasil, de Fábio Barreto (2011)

Salve Geral, de Sérgio Rezende (2010)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso