X
X

Diário da Região

13/12/2017 - 17h23min

Beijo gay na ecola

Página no Face convida para protesto na porta do colégio

Beijo gay na ecola

Reprodução Face Reprodução de página no Facebook convidando manifestantes para protestar contra suspensão de alunos
Reprodução de página no Facebook convidando manifestantes para protestar contra suspensão de alunos

A decisão da diretoria da escola estadual Monsenhor Gonçalves, em Rio Preto, de suspender por cinco dias dois alunos flagrados se beijando dentro do banheiro, provocou reações indignadas nas redes sociais. Página no Facebook convida alunos, pais e demais interessados para participar  de manifestação segunda-feira, no início das aulas da manhã, em frente à escola, em protesto contra o que consideram homofobia.

"Estaremos, em luta, em repúdio à postura homofóbica, assumida pela Direção da escola, ao encontrar dois meninos, alunos da escola, se beijando no banheiro. Concentraremo-nos no portão da escola, antes do início das aulas, para motivar os demais alunos a não entrarem na primeira aula como forma de se posicionar criticamente frente à atitude abusiva da Direção", diz texto da postagem, acompanhado de link de reportagem publicada neste sábado pelo Diário sobre o caso.

A grande maioria dos comentários publicados na mesma página se posiciona contrária à decisão da direção da escola. Até professores, de outras instituições. se manifestaram indignados com a instituição, que tomou a decisão de suspender os alunos depois de descobrir que eles estavam se beijando num dos banheiros, informando que a suspensão seria de 5 dias. Um dos alunos ainda tenta ser reintegrado. O outro já pediu transferência para outra escola.

"Acho importantíssimo acompanharmos, mesmo de longe, pois como educadores de um projeto emancipatório, laico e inclusivo, os resultados que essa galera conseguir alcançar trará experiência a nós todas que combatemos fundamentalismo nas escolas, ainda mais num colégio público. Cadê o kit anti-homofobia, Dilma?!?!?!?", afirma um dos comentários na rede social.

A hitória 

Dois garotos, estudantes da escola Monsenhor Gonçalves, em Rio Preto, foram suspensos por terem sido pegos se beijando dentro do banheiro. Além da suspensão, os dois corriam o risco de serem expulsos da escola. A família de um deles não quis esperar e já transferiu o aluno. O outro ainda tenta continuar matriculado na instituição e será submetido a avaliação de um conselho para saber se continua ou não na escola.

Um dos garotos, estudante do terceiro colegial, disse que havia acabado de pedir o outro, que é um ano mais novo, em namoro. Como o pedido foi aceito, o casal decidiu comemorar com um beijo, mas foram vistos por um outro aluno que denunciou o fato à diretoria.
Imediatamente, um diretor se dirigiu ao banheiro onde estava o casal e os surpreendeu, levando-os à sala da direção. Lá, os meninos foram informados que estavam suspensos de todas as atividades do colégio por cinco dias e foram "convidados a se retirarem" da instituição.

Como se isso não bastasse, a direção da escola comunicou o fato aos pais dos alunos, que não sabiam da orientação sexual dos filhos. "Não respeitaram o meu tempo", disse um deles.

O estudante do terceiro colegial, que continua na escola, conversou com a reportagem do Diário da Região e disse que implorou à diretora para que não contasse o fato à sua mãe, que é pastora de uma igreja evangélica: "Eu fui muito humilhado em casa. Minha mãe não está aceitando". Ele chegou a ser expulso da própria casa, e precisou passar a noite na residência de um amigo.

Mesmo suspenso, o jovem, que tem 17 anos, procurou a diretora da escola no dia seguinte. Ele pediu para permanecer no colégio. "Eu amo (a escola) Monsenhor Gonçalves. Eu quero continuar lá porque é um direito meu", afirmou.

O adolescente ainda reconhece que a escola não é um lugar apropriado para se beijar, mas julga exagerada a atitude da diretora: "Beijar na escola não é certo, mas não precisa de tudo isso. Poderiam dar apenas uma advertência". Ele ainda afirmou que os diretores e inspetores fazem vista grossa quando se trata de casais heterossexuais. "Teve um casal (hétero) que namorou do primeiro ao terceiro ano (do ensino médio). Eles viviam se beijando, se agarrando, sentando um no colo do outro, e nada acontecia", afirma o menino.

"Julgamento”

Na conversa que o aluno teve com a diretora, que foi gravada com um telefone celular, ela afirma que, para continuar na escola, o jovem precisará passar pelo crivo de um conselho formado por professores, estudantes com mais de 18 anos e pais de alunos.

De acordo com o que a diretora disse ao garoto, a situação será avaliada e este conselho irá "julgar" se ele deve, ou não, permanecer na escola. O veredito só será dado quando o aluno retornar da suspensão, na próxima quinta-feira, dia 9.

O Diário da Região entrou em contato com a escola e falou com o vice-diretor Ben Hur Ulisses da Silva. Ele, porém, informou que não poderia dar nenhuma informação à imprensa.

Outro lado

O técnico de educação para diversidade sexual e de gênero da Secretaria de Estado da Educação, Thiago Sabatini, disse ontem que o caso da escola de Rio Preto será investigado. “Os responsáveis pelo problema serão punidos”, afirmou.

Segundo ele, no entanto, a secretaria vai apurar a ocorrência tendo como prioridade “garantir o direito à educação”. A política educacional do Estado - garante - é no sentido de assegurar que não haja qualquer margem para desrespeito.

O Estado distribui material pedagógico específico, direcionado a temáticas de prevenção e de combate à homofobia. O educador - afirma o técnico - deve ser acolhedor, orientador.

A secretaria, porém, não quis responder aos questionamentos enviados pelo Diário sobre o caso específico da diretora, que decidiu suspender os dois alunos.

Colaborou Gabriel Vital

 


 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso