Diário da Região

25/11/2005 - 01h15min

Pico

Novas drogas prometem melhorar vida de diabéticos

Pico

O Diabetes, motivo de preocupação da Organização Mundial da Saúde (OMS) há alguns anos, está na linha de ação do Ministério da Saúde e, principalmente, dos grandes laboratórios, que lançaram no mercado, nos últimos meses, diversos medicamentos para driblar a doença. As novas drogas foram discutidas durante um congresso recente, no qual esteve presente o endocrinologista Antonio Carlos Pires, da Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp), que fala ao Diário a respeito dos lançamentos. A nova insulina, comercializada como Levemir (cujo princípio ativo é o sal detemir), do laboratório Novo Nordisk, tem sido recomendada para portadores de diabetes dos tipos 1 e 2 e foi lançada ano passado, durante o Congresso Europeu de Diabetes, em Munique. também com a participação do endocrinologista. De acordo com Pires, a droga é um análogo da insulina humana, ou seja, a molécula de insulina se liga a um ácido carboxílico para prolongar seu tempo de ação e torná-la mais previsível. ?Com menos picos na sua ação, ela provoca menos hipoglicemia e menos ganho de peso?, diz.

Além disso, segundo a gerente médica Olga Mellone, do laboratório Novo Nordisk, a insulina tende a promover a estabilização dos níveis de glicose do paciente com diabetes. "Outra vantagem é que a insulina detemir tem pH neutro, que não causa ardor na aplicação," diz. Já os diabéticos do tipo 2 poderão também contar com uma outra medicação, em breve, cujo princípio ativo é o exenatida. O endocrinologista Antonio Pires explica que trata-se de uma droga sintética, que deve ser batizada comercialmente pelo laboratório com o nome de Byeta. A droga só deve chegar ao Brasil no próximo ano, mas segundo os estudiosos, já representa um grande avanço no tratamento do diabetes, com indicações cada vez mais comprovadas por estudos clínicos importantes. Desenvolvida em conjunto pelos laboratórios Eli Lilly e Amylin Pharmaceutical, está aguardando apenas que saiam os resultados de dois estudos clínicos indicando o que tal composto sintético apresentou. Até agora, o que se sabe é que há uma melhora comprovada no controle dos níveis de glicemia no sangue e progressiva redução de peso ao longo de dois anos de terapia em pessoas com diabetes tipo 2 que não conseguiam obter um controle glicêmico adequado com drogas como a metformina e/ou sulfoniluréia, duas das medicações orais mais comuns para tratar a doença.

O endocrinologista rio-pretense explica que a droga é também um análogo do exendin-4, extraída da saliva do lagarto denominado Gila Monster, que vive no México e no oeste dos Estados Unidos. Esta droga é denominada de incretina devido à sua ação ser parecida com os hormônios, que normalmente são sintetizados no intestino, denominados de GLP1 (Glucagon-like protein-1) e GIP (Gastro Intestinal Peptide) que têm como função estimular a liberação de insulina resultante da alimentação. O endocrinologista explica que o Byeta estimula a liberação de insulina, inibe a liberação de glucagon, diminui o esvaziamento gástrico, diminui o apetite e, fundamentalmente, o que mais se espera desta droga, é a possibilidade de estimular a formação de novas células betas (produtoras de insulina) a partir dos ductos pancreáticos. Antonio Pires afirma que é importante lembrar que os diabéticos do tipo 2, ao longo do tempo, vão perdendo a função das células beta. Daí, a grande expectativa em relação a esta droga Byeta, que foi lançada na Europa no Congresso Europeu de Diabetes, em Atenas, em setembro passado, onde o médico também esteve presente.

Saiba mais:


:: O diabetes afeta, aproximadamente, 194 milhões de adultosemtodo o mundo e mais de 5 milhões no Brasil

:: 85 a95%dos portadores sofrem de diabetes tipo 2, umadoença que não permite que o organismo produza insulina suficiente e/ou as células do corpo não respondam normalmente à insulina

:: O diabetes tipo 2 acomete, geralmente, pessoas adultas, com mais de 40 anos, masestá se tornando cada vez mais co

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso