Diário da Região

18/10/2011 - 01h50min

Agonia

Marcação de exame em UBS demora 1 ano

Agonia

Guilherme Baffi Cortadeira Solange Severiano mostra requisição de exame datado de 26 de julho de 2010
Cortadeira Solange Severiano mostra requisição de exame datado de 26 de julho de 2010

Pacientes da rede pública de saúde, em Rio Preto, chegam a esperar mais de um ano para marcar exames e consultas. O problema afeta principalmente as áreas de cardiologia, mamografia, urologia, ortopedia e oftalmologia. A cortadeira Solange Severiano, 43 anos, aguarda há um ano e três meses por um exame na coluna.


O documento de requisição do exame está datado de 26 de julho do ano passado, mas até agora ela nem sabe quando o exame vai ser agendado. “Sinto muitas dores na região do braço esquerdo e o médico falou que seria da coluna. Desde então procuro a unidade e ninguém sequer fala quando serei examinada.” A dificuldade da cortadeira de conseguir atendimento médico pelo SUS não para por aí.


Devido a uma quimioterapia, feita para curar um câncer de mama, a paciente teve problemas de circulação de sangue nas pernas. Há três meses o médico com o qual faz o tratamento pediu, em caráter de urgência à saúde pública, consulta com um ortopedista e um cardiovascular, porém até ontem ela sequer sabia a data em que seria examinada.


“Vou à UBS do Maria Lúcia quase todas as semanas para ver se meu nome está na lista de agendamentos. Estou afastada do serviço e não tenho nem o resultado de exames para poder receber. Agora tenho de voltar a trabalhar dentro de 15 dias e não sei o que vou fazer.”


A demora para realização de exames afeta também a área de ortopedia. A dona de casa Neusa Bérgamo de Souza, 54 anos, espera há seis meses encaminhamento da UBS do Maria Lúcia para fazer ultrassonografia das pernas e tratar de problema de varizes. “Eles dizem que é só uma vaga por mês. Não consigo andar porque minha perna incha. Já estou quase desistindo do exame. Toda vez que preciso é essa peregrinação.”


Coração


Na UBS do Jaguaré a longa espera por exames afeta a área de cardiologia. O aposentado Antônio Francisco da Silva, 78 anos, tem problemas no coração e precisa de acompanhamento médico mensalmente, mas há quatro meses não consegue consulta médica com o cardiologista. “Estou vindo direto para ver se conseguimos. Se meu pai morrer, não sei nem o que eu faço”, diz a dona de casa Sandra Maria Silva, 48 anos.


Também com problemas no coração, o aposentado Manoel Alonso Lorenti, 82 anos, aguarda há quase dois meses por um holter, aparelho que afere durante 24 horas atividade elétrica cardíaca e detecta alterações e reações. “Ele tem fortes dores no peito e precisa disso para saber o que está acontecendo. Pelo visto isso vai demorar”, afirma Helena Maria de Jesus Louzenti, 71 anos, mulher dele.


Funcionários das próprias Unidades Básicas de Saúde, ouvidos pela reportagem, reconhecem que existe demora no encaminhamento para consultas e exames de especialistas. A justificativa é que faltam vagas. Eles não souberam estimar o prazo de espera para cada especialidade.


Maniglia diz que responderá hoje


A Secretaria Municipal de Saúde foi procurada pela reportagem às 11 horas de ontem para comentar os problemas encontrados na rede pública. A informação inicial é de que não haveria tempo necessário para levantar as situações dos oito personagens entrevistados pelo Diário. A pasta não informou também quantas vagas mensais são disponibilizadas por especialidades para exames e consultas, bem como qual a demanda por especialidade.


Quase sete horas depois, às 17h45, o secretário municipal de Saúde, José Victor Maniglia, afirmou, por meio da assessoria de imprensa da Prefeitura, que não poderia atender a reportagem e só falaria sobre o assunto às 9 horas de hoje, de posse dos dados relativos aos casos.


Quer ler o jornal na íntegra? Acesse aqui o Diário da Região Digital

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso