Diário da Região

22/03/2012 - 05h53min

Força Tática

Justiça absolve 4 PMs acusados de extorsão

Força Tática

Quatro policiais militares da Força Tática de Rio Preto que foram expulsos da corporação em 2008 acusados de extorsão, abuso de poder e sequestro foram absolvidos pela Justiça Militar do Estado de São Paulo. De acordo com a sentença assinada pelo juiz de direito Enio Luiz Rosseito, a vítima negou a acusação e relatou ainda que um relatório denunciando os então policiais Aparecido Magalhães Junior, Rodrigo Carlos Giggliotti, Marcelo Rodrigo Baldo e Adilson Cândido de Oliveira, já havia sido feito antes mesmo dela prestar depoimentos.


“A suposta vítima dos militares que no interrogatório da PM teria incriminado os acusados, na fase judicial se retratou ao disse que os policiais não lhe exigiram nenhum dinheiro”, diz trecho do documento. Um dos advogados dos policiais, Antônio José Giannini, garante que o grupo foi vítima de perseguição por parte do comando geral da cidade. Ainda segundo o advogado, um recurso pedindo a reintegração dos militares ao quadro da PM já foi feito.


Segundo Giggliotti ao ter que deixar a farda, após sete anos de prestação de serviço, ele sofreu com o olhar desconfiado das pessoas. “Nessas horas é que se conhece o ser humano. Muitos se afastaram e julgavam pelo que havia acontecido sem se importar se era verdade ou não. Recomeçar a vida foi muito difícil”, diz.


Magalhães Junior lembra que muitas vezes foi apontado como ladrão. “Minha vida desmoronou repentinamente. Tínhamos uma imagem e hoje ela foi arruinada. Atualmente sobrevivo de bicos”.


“Com certeza eu voltaria. Entraria de cabeça erguida. Seria a melhor maneira de mostrar que sou inocente”, diz. Os outros dois policiais acusados trabalham em uma farmácia na cidade. Eles foram procurados, no entanto não foram localizados pela reportagem.


A PM de Rio Preto informou que apenas a assessoria de imprensa da corporação, que tem sede em São Paulo poderia se pronunciar. Uma solicitação foi fita ao órgão, no entanto até o fechamento desta edição ninguém se manifestou.


A acusação


De acordo com a sentença, no dia 8 de agosto, os policiais teriam abordado Ednaldo José Fernandes, que na ocasião usufruía de saída temporária da Penitenciária de Bauru e teriam exigido a quantia em dinheiro de R$ 2,5 mil, que fora levada no mesmo dia, e entregue aos militares nas proximidades do Clube de Campo Palestra Itália. A partir daí a PM desenvolveu intensa investigação pelo chamado Serviço Reservado e teve como decisão exonerar o grupo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso