Diário da Região

16/02/2003 - 01h10min

Corpo e mente

Biodança investe no equilíbrio do ser humano

Corpo e mente

Renata Fernandes A biodança trabalha o indivíduo como um todo, em situações de grupo
A biodança trabalha o indivíduo como um todo, em situações de grupo
Aparentemente, as aulas de biodança nada têm de incomum, se não fosse por um diferencial fundamental: o investimento no ser humano como um todo e na sua capacidade de ser mais solidário, amoroso, confiante, saudável, feliz, social e justo. Os exercícios físicos são combinados com música e muita descontração. Embora não seja uma terapia propriamente dita, a biodança - também chamada de biodanza (bio = vida; danza = movimento expressivo, harmônico e pleno de sentido) - auxilia os alunos a enfrentar o dia-a-dia cheio de dificuldades e desafios, a ter mais coragem de viver e a melhorar a atitude perante a vida. “As aulas visam a fazer o indivíduo olhar para dentro de si, procurando se aprimorar. Conseqüentemente, enfrentará suas dificuldades pessoais com mais tranqüilidade”, explica Maria Tereza Godoy, facilitadora (professora) de biodança em Rio Preto. “Usamos o termo ‘facilitador’ porque já partimos do princípio de que ninguém ensina nada a ninguém, mas pode propiciar ao outro a oportunidade de se desenvolver, facilitando sua aprendizagem. Acreditamos que cada um aprende consigo mesmo”, diz.

Os movimentos da biodança trabalham não só o corpo, mas o ser humano como um todo, em situações de grupo. “A proposta é formar uma cultura para a vida, uma nova visão pessoal de mundo e de existência. Por outro lado, não se desconsidera o ambiente social”, afirma Fernando Bonvino, facilitador de biodança. As aulas são iniciadas com os alunos formando uma roda, para transmitir a sensação de solidariedade, de confiança, de aconchego, e reforçar o sentimento de pertencer a um grupo e a uma comunidade. “Em roda, ninguém se posiciona na frente de ninguém”, acrescenta Maria Tereza. Depois de formado o círculo, cada aluno tem a liberdade de se expressar e às suas emoções, falando sobre a repercussão das aulas na vida pessoal. “Quem não se sente à vontade para falar, não fala. O espaço é bem aberto para que todos se sintam à vontade para trazer os sentimentos à tona, criando, dessa forma, oportunidades para importantes transformações no sentido do crescimento”, explica a facilitadora. As diversidades se integram e são respeitadas, sem discriminação.

Informações sobre a biodança também são levadas ao grupo. Essa é a parte teórica. A aula prática é composta por uma grande variedade de exercícios, escolhidos de acordo com os aspectos a serem trabalhados. O desenvolvimento do trabalho se dá a partir do diálogo entre o facilitador e o grupo. Diversos ritmos musicais são utilizados para extrair o melhor de cada um. Não há correção dos movimentos. Os limites individuais são respeitados, acima de tudo. As músicas são cuidadosamente selecionadas para propiciar momentos de verdadeira integração entre os participantes. “O grupo dita o ritmo das aulas e a forma dos exercícios preparados pelo facilitador”, esclarece Maria Tereza. “A biodança cuida das pessoas. Para as mulheres, por exemplo, que estão sempre cuidando dos filhos, do marido, da família, os exercícios dão de volta essa sensação de acolhimento, de conforto, de aconchego”, diz. Cada aula deve ser encarada como a etapa de um processo. “Os alunos vão, dia a dia, redescobrindo a si próprios e às demais pessoas, até que consigam olhar ao redor com os seus olhos e não com os da sociedade”, afirma Bonvino.

Fontes:
Maria Tereza Godoy - Facilitadora de biodança - Fone: (17) 231-9209
Fernando Bonvino - Facilitador de biodança - Fone: (17) 235-7558

Serviço:
As aulas de biodança acontecem no Ibilce/Unesp, no programa Universidade Aberta à Terceira Idade (Unati) e podem ser feitas por qualquer pessoa da comunidade com mais de 45 anos de idade. A taxa mensal é simbólica - R$ 10/aluno. O telefone da Unati é (17) 221-2466 (após as 14 horas). Na Academia Vida, também será formada uma turma de biodança às terças-feiras, das 20 às 22 horas. Nos próximos dias 18 e 25, as aulas serão abertas para iniciantes, na sala 1, no valor de R$ 10 por participante. Par

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso