X
X

Diário da Região

13/12/2017 - 11h20min

DE BACANAS A MORADORES DE RUA

Bar que atraía gente da elite vira teto de mendigo

DE BACANAS A MORADORES DE RUA

Guilherme Baffi Moradores de rua que se instalaram sob a marquise do prédio que abrigou o Restaurante Baccana, localizado na Alberto Andaló
Moradores de rua que se instalaram sob a marquise do prédio que abrigou o Restaurante Baccana, localizado na Alberto Andaló

Tradicional point do pessoal que não costuma economizar na hora de se divertir e localizado na avenida ícone de Rio Preto, a Alberto Andaló, o restaurante Baccana fechou as portas há menos de um mês. Quase instantaneamente, moradores de rua tomaram o local. Fizeram da marquise um teto para as intempéries e se estabeleceram nas dependências externas do restaurante. Até uma rede foi instalada entre um pilar e outro.

Os novos frequentadores levaram junto as drogas e o álcool. As cervejas de marcas nobres, a ampla cartela de vinhos e os drinques elaborados foram substituídos por pinga em garrafa pet. E o cardápio elaborado, à base de filés e arroz com castanhas, cederam lugar para o que for amealhado na mendicância.

Mais do que o contraste social, a situação retrata a ocupação progressiva de moradores de rua em uma das mais importantes avenidas da cidade, bem perto do prédio da Prefeitura. Ali, debaixo da marquise do Baccana, já são pelo menos oito inquilinos. A avenida Bady Bassitt também concentra grupos de andarilhos, bem como a Rodoviária, o Calçadão e outros pontos que demarcam a região central.

Em agosto, a Secretaria de Assistência Social atendeu 348 rio-pretenses que moram nas ruas. Além disso, outras 465 pessoas na mesma situação, mas que são de outras cidades, receberam auxílio – 200 passagens de ônibus foram distribuídas para que voltassem às suas cidades de origem. A maioria dos atendidos, porém, recusa o acolhimento e prefere continuar nas ruas, segundo a Prefeitura.

 

restaurante bacana_moradores de rua 2 Uma rede foi instalada entre um pilar e outro da varanda do antigo bar

Na Andaló, alguns têm causado transtornos. Além do restaurante desativado, eles utilizam estabelecimentos ao lado para dormir e fazer as necessidades fisiológicas. “Fazem de tudo por aqui e, no dia seguinte, quando chegamos para trabalhar, está um cheiro insuportável. Acaba prejudicando os comerciantes aqui perto”, diz um empresário que preferiu não se identificar.

Ele diz que a situação era melhor quando o restaurante funcionava. “Eles ficavam durante o dia, mas sempre tinha alguém que pedia para saírem do local. À noite, iam para outros lugares. Agora, alguns ficam o dia todo aí. Chega a juntar 30 pessoas.” Os proprietários do restaurante não quiseram dar entrevista.

Mas o problema não fica apenas na higiene. Uma imobiliária ao lado do restaurante teve de contratar um segurança durante a noite. É que um grupo de andarilhos teria arrombado portas, quebrado fechaduras e levado alguns objetos de dentro da imobiliária. Em outro prédio vizinho, houve tentativa de furto de fios. O relógio de energia elétrica foi danificado.

“Chegam depois do horário de janta e fazem bagunça até altas horas. Na terça-feira, ficaram aos berros até as duas horas. Segunda-feira, um deles quase foi atropelado andando na avenida bêbado. Às 6h, quando o movimento de carros começa, eles vão embora,” diz um segurança que trabalha na avenida.

 

restaurante bacana_moradores de rua 3 Flagrante no início da semana de mendigos dormindo na varanda

Assistência

Segundo a secretaria, equipes de abordagem social ofertam os serviços públicos aos moradores de rua para a reinserção na sociedade. Quando aceitam, são encaminhados para os atendimentos disponíveis. Em abril deste ano, uma força-tarefa do Ministério Público, polícias Militar e Civil, Guarda Municipal e secretarias de Assistência Social, Saúde e Trânsito levantou dados sobre esses moradores de rua.

Segundo o promotor José Heitor dos Santos, o levantamento seria importante para identificar quem está em situação de risco e quem se aproveita para cometer crimes. Ele, porém, não informou os resultados. “A Assistência Social já está com os dados. Mas o trabalho continua e deve levar um bom tempo ainda.”

Recursos para projeto

Para auxiliar no trabalho de assistência a moradores de rua, a Prefeitura de Rio Preto recebeu recursos na ordem de R$ 300 mil do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. A liberação ocorreu no dia 8 de setembro. De acordo com a Secretaria de Assistência Social do município, o dinheiro vai ser utilizado na ampliação do Centro Pop, que recebe e orienta os moradores de rua.

“A ampliação contempla 107,77 metros quadrados de construção distribuídos entre cozinha comunitária, refeitório, banheiros, dispensa e área de convivência,” informou a Prefeitura por meio de nota. A cozinha vai servir para centralizar a distribuição de refeições aos moradores. A verba, segundo a secretaria, também vai ajudar na oferta de serviços e ações a ser desenvolvidas pelo local.

Algumas delas são acolhimento e atividades direcionadas ao desenvolvimento de sociabilidade, fortalecimento de vínculo interpessoal, familiar e comunitário, arteterapia, terapia comunitária, encaminhamento para balcão de empregos, cursos de capacitação, entre outros.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso