Diário da Região

19/11/2010 - 03h23min

'Operação Deserto'

Advogado acusado de tráfico vai para SP

'Operação Deserto'

Sérgio Menezes Momento em que carros com presos da Operação Deserto deixavam a PF com destino a São Paulo
Momento em que carros com presos da Operação Deserto deixavam a PF com destino a São Paulo

Três viaturas da Polícia Polícia Federal levaram ontem os presos da Operação Deserto de Rio Preto para São Paulo. O advogado Massao Ribeiro Matuda, 44, apontado como líder de uma quadrilha internacional de tráfico de cocaína, seguiu no banco traseiro de uma viatura descaracterizada. O delegado Júlio César Monfardini, designado para comandar as prisões de Matuda e outros quatro acusados, viajou no banco da frente do carro que levou o acusado à Superintendência da PF, em São Paulo.


A imprensa não teve acesso ao preso, que ficou com o rosto coberto pela camisa ao sair da delegacia. Os outros presos, Antonio de Souza,46, Aléx Gonçalves da Silva, 30, e Ciro Marcondes Lourenço Plaza, 32, seguiram em uma viatura Blazer e em outro carro descaracterizado da PF. Todos negaram envolvimento com o tráfico por meio de seus defensores.


Eliane Aparecida Novelli, 43, mulher do piloto de avião Aderval Guimarães da Silveira, 63, foi presa por associação ao tráfico e está na cadeia feminina de Meridiano. O marido dela foi preso no Mato Grosso do Sul, em setembro deste ano, ao tentar trazer para a região 254 quilos de cocaínaO delegado que comandou a operação não esclareceu, entrentanto, o teor dos depoimentos dos acusados. Segundo a PF, a quadrilha atuava em sete Estados e era responsável pela remessa da droga à Africa e Europa através de navios.


O advogado preso em Rio Preto seria o cabeça da organização, responsável pela articulação da quadrilha e principal braço no Brasil de narcotraficantes colombianos e venezuelanos. De acordo com o delegado Ivo Roberto Costa da Silva, do Departamento de Repressão a Entorpecentes da PF de São Paulo, a droga era trazida para a região de Rio Preto em aviões monomotores. Os traficantes escondiam a pasta de cocaína nas asas das aeronaves.


Em 18 meses de investigação a PF descobriu uma movimentação de R$ 28 milhões pela quadrilha. Durante a operação foram presas 22 pessoas. Ele morava em um condomínio de luxo da zona sul de Rio Preto, era contratado como assessor jurídico da Câmara de Pereira Barreto e usava o endereço comercial de uma franquia de ensino a distância, em Rio Preto. Ontem, a Faculdade Anhanguera negou que Matuda tenha vínculo com a unidade de ensino rio-pretense.


Quer ler o jornal na íntegra? Acesse aqui o Diário da Região Digital

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso