X
X

Diário da Região

05/08/2016 - 00h00min

Painel de Ideias

Entre belezas e mazelas

Painel de Ideias

NULL NULL
NULL

É hoje!! A partir das vinte horas, no Maracanã, o Brasil abre oficialmente os Jogos Olímpicos 2016. Por vários motivos, um feito raro. É a primeira vez na América do Sul. Das pouquíssimas fora do Primeiro Mundo. Dentre as trinta edições dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, somente duas aconteceram no Hemisfério Sul, ambas na desenvolvida Austrália.

As Olimpíadas são o maior evento do planeta, seja em público, em participantes ou mesmo em valores envolvidos. Supera de longe a Copa do Mundo.

Mas, afinal, por que um evento esportivo tornou-se tão grandioso? Por que tanta gente se propõe a realizar e participar de um evento desse porte?

Os mais céticos responderiam logo: dinheiro e fama.

Sim, há muito dinheiro envolvido, há muita mídia. Mas isso não responde tudo. Olhando mais de perto, é possível perceber que há muito, muito mais.

As Olimpíadas não são feitas pelo político, que usa o evento para ganhar atenção e votos. Também não pertencem ao empreiteiro, que enriquece às custas de obras superfaturadas e mal-acabadas. Nem ao cartola corrupto, que recebe propina nos contratos. Esses passarão.

Os Jogos Olímpicos são feitos por aquele atleta que treina anos a fio, horas por dia, todos os dias da semana. Que estava na piscina nas manhãs frias, nas pistas em tardes chuvosas. Por aquele jovem que suportou dores e superou lesões. Que renunciou a festas, amigos, à convivência familiar, tudo em função de um sonho.

Por aquele profissional que um dia olhou um menino magricela e viu ali um grande atleta. Pelo treinador que ensinou, orientou, motivou e insistiu, até conseguir fazer do menino um homem.

Quando olhamos para trás, vemos que a história olímpica é escrita pelos sonhadores, pelos lutadores. Por aqueles que acreditaram que um dia poderiam se tornar um campeão, trazer uma medalha no peito. E também por aqueles que sonharam apenas em terminar uma prova. Essa escrita tem autores como Michael Phelps, que tem o melhor treinamento e a mais alta tecnologia à disposição. Mas também Usain Bolt, que leva o nome da pequena e pobre Jamaica mundo afora.

Esses não passarão. Ficarão para a História.

Não são poucas as dificuldades que o país enfrenta para realizar os jogos. As obras são milionárias. Algumas ficaram prontas em cima da hora, ou nem isso. Há muitos problemas, é verdade. Mas há também nosso complexo de vira-lata, que nos faz achar que a grama da arena do vizinho é melhor que a nossa, que o nosso santo de casa não vai dar conta de realizar tamanho milagre.

O certo é que, a partir de hoje e pelos próximos dias, o Rio de Janeiro, com suas belezas e mazelas, será o lugar onde o mundo esportivo se encontrará para o maior evento que a humanidade é capaz de realizar. Para onde olharão cinco bilhões de pessoas. Onde se celebrará aquilo que um dia alguém denominou “o Espírito Olímpico”.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso