X
X

Diário da Região

28/08/2016 - 22h04min

Um bom desempenho é fruto de sorte genética ou esforço pessoal?

Desempenho: genialidade ou esforço?

Um bom desempenho é fruto de sorte genética ou esforço pessoal?

NULL Temos habilidades inatas ou as adquirimos com esforço e prática?
Temos habilidades inatas ou as adquirimos com esforço e prática?

A discussão é antiga, vasta. Lendo a obra do cientista David Shenk, “Genialidade em cada um de nós”, encontrei excelentes postulações que podemos observar claramente no processo de educação escolar. O autor afirma: "talento não é algo em si mesmo, e sim um processo. Embora isso não se pareça nem um pouco com o que costumamos pensar. Expressões como: “ele deve ter um dom”, “boa genética”, “talento nato”, indicam que nossa cultura vê o talento como um recurso genético raro, algo que ou temos ou não. Testes de QI, avaliações individuais e a questão das “competências” sistematizam essa idéia, e as escolas desenvolvem seus currículos e provas, baseadas nela."

O paradigma do dom genético se tornou parte essencial da nossa compreensão da natureza humana: nossos genes são o modelo de quem nós somos. São eles que nos tornam indivíduos diferentes ou com habilidades específicas. Apenas isso justificaria a existência de indivíduos diferenciados como Usain Bolt, Katie Ledeck, Mozart, Einstein ou eu e você.

Esta passagem do livro foi bastante significativa para mim::

“Todo o conceito do dom genético é, na verdade, um grande equívoco – tragicamente mantido em voga por décadas a fio por uma série de mal-entendidos e metáforas enganosas. Nos últimos anos, tivemos o surgimento de uma montanha de evidências científicas que sugerem, de forma incontestável, um paradigma totalmente diferente: o que existe não é uma escassez de talento, e sim uma fartura de talento latente. De acordo com essa concepção, o talento e a inteligência humana não se encontram em níveis constantemente baixos, como os combustíveis fósseis, mas sim em níveis potencialmente abundantes, como a energia eólica. O problema não está nos nossos recursos genéticos inadequados, mas na nossa incapacidade, até o momento, de utilizar o que já possuímos.

Isso não quer dizer que não tenhamos diferenças genéticas importantes entre nós, que geram vantagens e desvantagens. É claro que temos, e essas diferenças trazem consequências profundas. Porém, a ciência contemporânea sugere que poucas pessoas conhecem seus verdadeiros limites, e que a grande maioria delas não chega nem perto de utilizar o que os cientistas chamam de “potencial irrealizado”. Ela também apresenta uma visão profundamente otimista da raça humana: “Não temos como saber quanto potencial genético irrealizado existe”, escreve Stephen Ceci, psicólogo do desenvolvimento da Universidade Cornell. Isso faz com que seja logicamente impossível insistir (como alguns de nós fazem) na existência de uma subclasse genética. A maior parte dos que possuem um desempenho abaixo da média muito provavelmente não é prisioneira de seu próprio DNA; essas pessoas têm sido apenas incapazes de alcançar seu verdadeiro potencial.”

A conclusão é de que não seria possível, nem mesmo razoável, dizer que qualquer um pode fazer ou ser qualquer coisa que quiser, porém, a ciência mostra que é igualmente absurdo pensar que nós podemos saber quais são nossos verdadeiros limites antes de empregarmos nossa vasta gama de recursos e investirmos grande quantidade de esforço e tempo nisso. Nossas habilidades não estão gravadas em nossos genes, elas são flexíveis e moldáveis. E o autor ainda conclui: “Com humildade, esperança e determinação extraordinária, qualquer criança – dos oito aos oitenta anos – pode aspirar à grandeza.”

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso