X
X

Diário da Região

25/08/2016 - 17h03min

LANÇAMENTO

Carne Doce amplia horizontes musicais com Princesa

LANÇAMENTO

Divulgação A banda Carne Doce, de Goiânia
A banda Carne Doce, de Goiânia

Carne Doce

Princesa
Carne Doce
2016
Ouça

O segundo disco é um fantasma que assombra toda banda em início de carreira. Ainda mais quando o álbum de estreia é bem recebido, tanto pelo público como pela crítica. Será possível superar as expectativas e se manter coerente na construção de sua trajetória musical? No caso da banda goiana Carne Doce, a resposta é sim. Afinal, Princesa, seu segundo disco, surpreende por trazer diferenças pontuais (e maravilhosas) em relação ao primeiro álbum, Carne Doce (2014). Uma evolução que promete ampliar ainda mais os horizontes da Carne Doce.

A força de Princesa reside em três aspectos: a sonoridade da Carne Doce, que mantém sua pegada psicodélica, mas que enveredou por um experimentalismo muito instigante; a voz vulcânica de Salma Jô e sua poesia engajada e sensível; e o conceito que permeia todo o segundo disco, uma espécie de tratado feminista.

Em músicas que nascem sem pressa, pontuadas por efeitos, distorções e ruídos, Salma Jô evoca o poder feminino  e aborda temas caros para as mulheres, como a questão do aborto, lindamente tratada em Artemísia (veja o clipe abaixo): 'Não vai nascer | Porque eu não quero | Porque eu não quero | E basta não querer |  Não vai viver | Porque eu vivo | Sou Deus vivo | Sua razão de ser...'.

 

 

O ataque à cultura machista abre o disco com a irreverente Cetapênsano: 'Conheço o seu 'tipim' | Só quer aparecer...'. E continua em Falo, que está entre as faixas com mais de 5 minutos que predominam no disco: 'Já tá cansado da minha voz por quê? | O tempo todo um timbre feminino | Pra maioria algo enjoativo | Que tal se agora entrasse um homem aqui?...'.

 

Carne Doce A banda Carne Doce, de Goiânia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Princesa foi gravado no Red Bull Studios, em São Paulo, e sua produção teve a participação do músico Guilherme Kastrup, que vem marcando presença em ótimos trabalhos lançados rencetemente, como o último disco de Elza Soares (A Mulher do Fim do Mundo) e o novo trabalho da banda YNKY, Animania. Em seu novo disco, Carne Doce amplia seu universo de possibilidades, voando alto e veloz nas asas da inspiração.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso