X
X

Diário da Região

12/10/2016 - 22h33min

Coluna do Diário

Câmara sinaliza que não vai mudar nada

Coluna do Diário

Johnny Torres Plenário da Câmara durante sessão que engavetou denúncia contra Marcondes
Plenário da Câmara durante sessão que engavetou denúncia contra Marcondes

A eleição nem terminou direito e a Câmara de Rio Preto já deu uma amostra de que dificilmente vai melhorar seus hábitos. Uma semana depois da apuração dos votos, os vereadores voltaram as costas para a denúncia de que o presidente da Casa, Fábio Marcondes (PR), contratou assessor para Diretoria Geral do Legislativo, com salário de quase R$ 7 mil mensais, sem que o servidor pegasse no batente. 

Não bastasse a denúncia em si, havia um grave contexto que envolvia a sessão de terça-feira, 11, a revelação de sexta-feira, 7, de que há investigação em curso na Polícia Federal contra o mesmo Marcondes por compra de voto e abuso do poder econômico durante a campanha eleitoral, o que desde já tirou o brilho da expressiva votação do vereador, o campeão de votos entre os candidatos. Apesar de tudo isso, oito vereadores, sete deles reeleitos em 2 de outubro, preferiram continuar a varrer para debaixo do tapete as suspeitas de condutas incompatíveis com o cargo que exercem. 

Paulo Pauléra e Gerson Furquim, do PP, Celso Peixão e José Carlos Marinho, do PSB, Francisco Júnior (DEM), Karina Caroline (PRB), Jorge Menezes (PTB) e Alessandra Trigo (PSDB), apenas esta última derrotada nas urnas, inocentaram Marcondes da denúncia de que contratou assessor fantasma, sem mesmo investigar o caso. Pior, nem precisaram ouvir a defesa do vereador acusado, que simplesmente faltou à sessão de terça-feira, acuado pelos escândalos que o envolvem. 

Para extremo deboche ainda foi divulgada no mesmo dia que o próprio Marcondes havia criado comissão formada por servidores na Câmara para apurar a denúncia se Idekim Júnior, o assessor contratado por ele, de fato não aparecia para trabalhar. Marcondes só pode acreditar que a opinião pública sofre das faculdades mentais. Se nem seus iguais foram capazes de investigá-lo, que se dirá dos subordinados?

 

 

FRASE:

"Qual é o interesse dele nessa situação? Ele não era candidato. De onde sairia o dinheiro? Ele não deve ter"

Cláudio Santos de Moraes, promotor de Justiça, sobre Rogério Martins, assessor informal do vereador Fábio Marcondes (PR), com quem a PF encontrou lista que sugere compra de votos durante a eleição

 

 

Câmara adia acordo entre PF e Guarda

A Câmara de Rio Preto adiou por cinco sessões (que são semanais) a votação do projeto de lei que cede guardas municipais para fazer a segurança do prédio da Polícia Federal (PF). O acordo de cooperação foi proposto pelo prefeito Valdomiro Lopes (PSB). O pedido de adiamento da votação partiu do vereador Jean Charles (PMDB), ex-comandante da Polícia Militar na cidade. O acordo prevê que os guardas municipais vão receber em troca treinamento na PF para criação de um pelotão de elite na corporação. 
O acordo semelhante já existe em outras cidades.

 

 

NOTAS:

Hospital público

Um peemedebista teve ideia que pretende fazer chegar ao prefeito eleito Edinho Araújo (PMDB) e ao vice Eleuses Paiva (PSD): que o município tenha seu próprio hospital para não ficar refém da Santa Casa e do Ielar. Mas em tempos de PEC do Teto para congelar gastos na saúde, a ideia tem tudo para morrer ainda no berço.

Para refletir

Mirassol e Fernandópolis são duas cidades da região conhecidas pela instabilidade política. Existe até uma análise de que Votuporanga cresceu mais que ambas justamente por ter uma classe política coesa. Eleitores das duas cidades parecem ter percebido o problema. Nas eleições de 2 de outubro, a soma de abstenções, com votos brancos e nulos foi maior que a votação dos prefeitos eleitos.

 

André Pessuto - 13102016

 

 

Para refletir 2

Em Mirassol, André Vieira (PTB) teve 9.072 votos, enquanto os eleitores que deixaram de ir às urnas ou que votaram em branco ou anularam chegaram a 12.752. Em Fernandópolis, André Pessuto (foto) elegeu-se pelo DEM com 15.980 votos. Os votos nulos e brancos mais abstenções chegaram a 16. 884.

 

 

 

 

NA REDE:

 

Nelson Marquezelli - 13102016

 

Só para quem pode

Alastra-se pelas redes sociais o vídeo com o deputado governista Nelson Marquezelli (foto) dizendo que “quem não tem (grana) não faz universidade”, ao defender a PEC do Teto nos corredores da Câmara, em Brasília. O deputado do PTB ainda defendeu cortes nas instituições de ensino superior públicas para que o Estado concentre-se apenas em manter a educação fundamental.

 

 

Ato falho 

Entre os álbuns de fotos da página do prefeito eleito de Rio Preto, Edinho Araújo (PMDB), no Facebook, há um com reproduções ilustradas do plano de governo, com propostas para várias áreas, como educação, cultura, assistência social, saneamento etc. Saúde, no entanto, não aparece - nem o resumo da principal proposta para o setor, o “padrão poupatempo” para pôr fim a filas para consultas e exames.

Os mais-mais

O candidato eleito à Prefeitura de São Paulo João Doria; do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo; e o atual prefeito da capital paulista, Fernando Haddad, foram os mais comentados no Twitter no Brasil durante a campanha eleitoral até 2 de outubro. 

A vez de Dado

Depois do refresco no feriado, voltam as entrevistas na TV Diário com os prefeitos eleitos da região de Rio Preto. Nesta quinta-feira, 13, a partir das 15h, é a vez de João Dado (SD), de Votuporanga. Transmissão ao vivo na página do jornal no Facebook. O vídeo fica disponível depois no portal diariodaregiao.com.br.

 

 

CURTAS:

Triste - Anderson Branco (PR) eleito vereador na mesma chapa do presidente da Câmara de Rio Preto, Fábio Marcondes (PR), disse que vê com “muita tristeza” a investigação em curso feita pela Polícia Federal de suposta compra de votos envolvendo o colega. “A gente não sabe de nada, mas é algo que deve ser apurado”, diz Branco.

 

Mary Brito - 13102016

 

 

Destino de Mary - Um dos interlocutores do prefeito eleito Edinho Araújo (PMDB) já afirmou à Coluna que a Secretaria de Fazenda vai ser ocupada por um servidor de carreira. Mas cresce o lobby para que a atual titular da pasta, Mary Brito (foto) permaneça no cargo. Vale lembrar que o senador Aloysio Nunes (PSDB), que a indicou lá atrás, é “parça” de Edinho.

 

 

Renúncia - O vereador de Catanduva Aparecido de Lima, o Cido Verdureiro (PV), renunciou ao mandato na última sessão. O motivo da decisão do parlamentar é um mistério. Em lugar de Cido Verdureiro deve assumir Donizete Menino. O suplente será convocado para ocupar a cadeira até dezembro. Cido disputou e perdeu a reeleição em 2 de outubro.

Censura em alta - O número de ações judiciais de autoria de partidos e políticos solicitando a censura prévia a jornalistas e publicações mais do que triplicou este ano em relação a 2012. A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo já identificou 74 ações do tipo nestas eleições. Foram 23 em todo o período eleitoral de 2012.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso